Rodrigo Santana pede desculpas à torcida e diz não sentir cargo ameaçado no Atlético-MG

Havia a expectativa até de uma demissão do treinador pela eliminação na Sul-Americana, além da sequência de seis derrotas no Campeonato Brasileiro

Lance

Lance

Lance

Assim que Cazares cobrou o último pênalti, decretando a eliminação do Atlético-MG da Copa Sul-Americana, as atençõe se voltaram para a sala de imprensa do Mineirão. A expectativa era para saber da situação do técnico Rodrigo Santana, que fracassou com o time na competição continental, além de estar em má fase no Campeonato Brasileiro, caindo do quarto para o décimo lugar, perdendo os últimos seis jogos no nacional.

Ao chegar para sua coletiva, Rodrigo Santana não falou em saída, pressão, e se disse tranquilo, sem sentir-se ameaçado de queda do cargo de técnico do Galo.

- Hoje eu te confesso que estou triste pela eliminação. Mas, em momento nenhum, eu senti meu cargo ameaçado. A diretoria tem homem de palavra, e passa confiança para a gente. O Sette Câmara (presidente alvinegro), Lázaro (vice do clube), Rui (diretor de futebol) e Marques (gerente de futebol). Sempre nos deixaram tranquilos no trabalho. Não é qualquer diretoria que pega sete derrotas e mantém um treinador que está na primeira Série A dele. Se eles pregam essa confiança, é sinal que existe trabalho, existe gestão e confiança do elenco - disse o treinador.

A queda brusca de rendimento no Brasileiro, que fora justificada para dar foco à Sula, perdeu força como justificativa, já que agora o time mineiro terá de pensar em não se aproximar da briga contra o rebaixamento.

- O foco muito grande na Sul-Americana. Infelizmente acabou o sonho hoje. Isso é triste. No futebol, precisamos ser fortes. Embora há sequência de derrotas, falamos no vestiário que conseguimos encerrar ela com a vitória de 2 a 1. Estamos de luto pela eliminação, mas fizemos boa partida. Vamos mostrar quem é quem no elenco, há homens para isso. Os jogadores estão sentindo muito, é hora de unir para ir com força máxima no Brasileiro, no domingo- explicou.

Por fim, Rodrigo Santana pediu desculpas à torcida, que apoiou em massa na noite chuvosa no Mineirão.

-Pedimos desculpas ao torcedor, que veio, fez festa linda, empurrou o time. Não conseguimos sair daqui classificados. Tivemos vantagem nos pênaltis também. Foi um dia em que procuramos fazer o melhor, mas não demos o resultado para a torcida-concluiu.

O Galo volta à campo no domingo, 29 de setembro, às 19h, contra o Ceará, no Independência, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. O alvinegro está na 10ª posição com 27 pontos em 20 jogos. O Galo tem um jogo a menos, contra o Vasco, que será disputado na quarta-feira, 2 de outubro, às 19h15, no Independência.