Lance Radialista é acusado de machismo e assédio por comentário sobre tamanho do calção de time feminino do Internacional

Radialista é acusado de machismo e assédio por comentário sobre tamanho do calção de time feminino do Internacional

Flávio Dal Pizzol afirmou que as pernas das atletas são mais bonitas em comparação com a dos homens e que por esse motivo os shorts deveriam ser menores

Lance
Lance

Lance

Lance

Os radialistas Roberto "Pato" Moure, Rogério Bohlke e Flávio Dal Pizzol, da 'rádio Grenal', do Rio Grande do Sul, foram acusados de machismo e assédio nas redes sociais por comentarem sobre o tamanho dos shorts das jogadoras do time feminino do Internacional, que conquistou o 'Gauchão' da modalidade no último domingo.

Em uma participação ao vivo, um dos radialistas 'sugeriu' que as meninas, que teriam 'pernas mais bonitas', deveriam usar calções mais justos.

- Uma sugestão pra essas meninas, principalmente do Internacional. Peçam pra confeccionar calções mais curtos. Ah, mas as pernas são mais bonitas, não tenho duvida - disse, enquanto Roberto "Pato" Moura" sugere que as meninas deveriam jogar de 'fio dental'.

- Bota calção curto. A forma como elas arregaçam os calções ficam horríveis. A estética não fica boa - completou.

- Eloise, desculpa pela manifestação desse vovô tarado - tentar relevar o apresentador do programa, com a única profissional mulher presente no debate, sem fazer uma repreensão mais firme com o comentário do colega.

O vídeo foi compartilhado nas redes sociais, onde o radialista foi acusado por internautas de machismo e assédio.

- Dia histórico p/ futebol feminino gaúcho. Visibilidade em TV aberta. Tantas coisas pra comentarem e me vem falar de "calção das gurias"? Precariedade de conteúdo. Péssimos profissionais. Além disso, q nojo dos comentários machistas. Respeitem as mulheres, respeitem as atletas - disse uma internauta.

-Que nojo, inaceitável ter que ouvir isso numa rádio. Ta na hora de reverem seus conceitos!! Além das atletas do Inter, que são vítimas destas barbaridades, imaginem a situação da repórter, Eloise. Coitada, trabalhando no meio destes inqualificáveis, com exceção do Dalpizol - afirmou outro.

Últimas