Quebra de recorde e excesso de empates marcam penúltima etapa da Copa do Mundo de Escalada

A cidade chinesa de Xiamen sediou a penúltima rodada da competição

Lance

Lance

Lance

A cidade chinesa de Xiamen sediou a penúltima rodada da Copa do Mundo de 2019, com as disciplinas de vias guiadas e velocidade. A equipe de route setters foi formada pelo italiano Leonardo Di Mariano e pelos franceses Vincent De Girolamo e Matthieu Dutray. A dificuldade das vias disponibilizadas para os atletas mostrou-se irregular durante toda a competição, tanto para homens quanto para as mulheres.

O motivo dessa irregularidade pode ser observado na quantidade de escaladores que chegaram a fazer top na fase de qualificação (por exemplo, 24 no feminino) e muitos empates nas semifinais (por exemplo 9 escaladores empatados do 2º ao 10º no masculino).

Sem sombra de dúvida, o número excessivo de empates subtraiu a emoção e o dinamismo da competição. Após uma semifinal atípica, com sete escaladores qualificados para a final com a mesma pontuação, a via decisiva em Xiamen não alterou o estilo.

Quanto a isso, o gerente da equipe de competição, Francesc Prat, resume perfeitamente o que aconteceu:

“A final não teve emoção devido à baixa incerteza dos movimentos da via equipada. Praticamente todos os concorrentes resolveram sem esforço os últimos movimentos da via. Naquela parte, não houve dificuldade e até três competidores chegaram ao top sem transmitir nenhum esforço”.

Adam Ondra Campeão 2019
O escalador tcheco Adam Ondra foi um dos três finalistas que alcançou o topo, mas a emoção do público foi comedida pela visível facilidade de todos os competidores na via da final.

Pequenos detalhes costumam marcar os resultados na escalada, como em qualquer outro esporte, mas esta filosofia parece ter sido esquecida pelos route setters. Ondra terminou em primeiro, os japoneses Taisei Homma e Tomoa Narasaki, segundo e terceiro respectivamente. O resultado foi por uma margem muito pequena e sem muita emoção no decorrer da competição.

Essa vitória ajudou o tcheco a se proclamar matematicamente o vencedor da Copa do Mundo de vias guiadas de 2019. Dessa maneira Ondra pode abdicar de participar da última rodada da Copa do Mundo de Escalada para treinar na segunda grande chance de se classificar para as Olimpíadas de Tóquio 2020.
Nasce uma estrela: Chaehyun Seo

Para quem acompanha a escalada esportiva em competições, poucos imaginavam no início da temporada da Copa do Mundo de vias guiadas em Villars, Suíça, em julho passado, que uma menina de 15 anos, estreante, iria ofuscar atletas do calibre de Janja Garnbret, atualmente a escaladora mais vencedora da história das competições de escalada.

Foi aí que entrou em cena a coreana Chaehyun Seo, que deixou a todos boquiabertos ao conseguir, na sua prova de estreia, ficar em segundo lugar no pódio, superada apenas por Janja Garnbret. A partir daí, Seo foi ganhando de maneira acachapante cada etapa mostrando uma frieza e técnica singulares de quem parecia ser uma veterana.

Como Adam Ondra, Seo se proclamou matematicamente campeã da Copa do Mundo de vias guiadas vencendo em Xiamen. Do mesmo modo que aconteceu com os homens, as provas femininas se desenvolveram sem dor ou glória, com três tops e três empates, de maneira entediante e sem movimentos estelares.

Curiosamente, Janja Garnbret, visivelmente desconcentrada por já estar classificada para as Olimpíadas 2020, cometeu um erro pueril e caiu próximo ao topo, dando a vitória à sua principal rival este ano: Chaehyun Seo. Garnbret ficou até mesmo fora do pódio, entregando de bandeja o título da temporada em vias guiadas para Seo. A coreana venceu esta temporada em Chamonix, Briançon, Kranj e Xiamen.

A Ásia dominou em Xiamen, com um pódio feminino composto por três mulheres do mesmo continente: Chaeyun Seo (Coréia do Sul) foi a primeira, Akiyo Noguchi (Japão) a segunda, e Jai Kim (Coréia) a terceira.

Recorde mundial para a Indonésia
Na disciplina de velocidade, toda a atenção foi dada à escaladora indonésia Aries Susanti, que estabeleceu o novo recorde mundial de escalada de velocidade, parando o cronômetro em 6.995 segundos. Susanti tornou-se a primeira mulher capaz de escalar na modalidade em menos de 7 segundos.
A marca foi alcançada na final feminina de Xiamen, onde foi batida a escaladora chinesa YiLing, que curiosamente até agora era quem possuía a melhor marca mundial com 7.101 segundos.