Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

QB Joey Bradley, do Ceará Caçadores, sobre o FABR: ‘tem potencial para ser melhor do que a Europa’

Norte-americano falou sobre o FABR e recordou o tempo que atuou com uma lenda brasileira

Lance

Lance|Do R7


Lance
Joey Bradley é o grande reforço do Ceará Caçadores para 2023 - Foto: Reprodução

O quarterback norte-americano Joey Bradley será uma das grandes atrações do FABR atuando pelo Ceará Caçadores em 2023. O jogador, que foi campeão finlandês invicto no ano passado, vai para um novo desafio na carreira após atuar no seu país de origem, Finlândia, Polônia, República Tcheca, Portugal e Espanha.

Além de ser o quarterback do Ceará Caçadores, Joey Bradley também integrará a comissão técnica, sendo o coordenador ofensivo da equipe na disputa da Conferência Nordeste da Liga Brasileira de Futebol Americano (Liga BFA).

+PREMIER LEAGUE (Star+)

Confira com exclusividade os últimos jogos da Premier League por apenas R$40,90 por mês!

Publicidade

+FUTEBOL INTERNACIONAL (FutFanatics)

10% OFF nos mantos internacionais a partir de R$299,90 com o cupom: LANCEFUT

Publicidade

+BRASILEIRÃO (Prime Video)

Todos os jogos do Brasileirão você encontra no Prime Video. Assine já e acompanhe o seu time do coração!

Publicidade

+FORA DE CAMPO E MAIS ESPORTES (FutFanatics)

Cupom LANCEFUT com 10% OFF para os fanáticos por esporte em compras acima de R$299,90

Com tanta experiência no futebol americano, ele conversou com a Valinor Conteúdo sobre os motivos que o fizeram vir para o Brasil e também a sua opinião sobre o FABR até o momento.

- É difícil comparar, porque as ligas da Europa têm regras diferentes com estrangeiros. por exemplo. Na Finlândia, tivemos 8 a 12 estrangeiros na equipe nas minhas duas últimas temporadas. Então, se o meu time anterior fosse jogar completo no FABR, provavelmente, ele iria dominar. Mas se fosse apenas dois estrangeiros e o restante finlandês, possivelmente, o nível ficaria mais próximo. Mesmo na Europa, o nível é diferente. Alemanha e Finlândia são superiores do que Portugal e Espanha. Mas penso que uma equipe, como o T-Rex, poderia competir muito bem na Europa contra equipes que só tem dois estrangeiros – analisou.

- Individualmente, há muitos jogadores do Brasil que poderiam jogar bem na Europa. Mas é preciso disciplina e também investir nos coaches. O comprometimento também é uma parte importante e por isso hoje vejo o nível aqui mais baixo do que na Europa. Mas, quando a estrutura e a organizaram mudarem aqui, o potencial aqui é muito grande e pode ser maior do que na Europa. Mas o QI sobre o futebol americano ainda é abaixo do que na maioria dos países europeus– completou.

Sobre a vontade de atuar no Brasil, Joey Bradley destacou a influência do wide receiver Heron Azevedo (hoje no Moura Lacerda Dragons) que atuou com ele na Universidade de JUCO, dos Estados Unidos, nas temporadas 2009 e 2010. Um jovem Joey Bradley, então com 18 anos, ficou maravilhado ao ouvir o português pela primeira vez e com a empolgação da narração de um touchdown do wide receiver brasileiro.

- Apesar de estarmos no mesmo time, não chegamos a jogar. Eu estava no time principal, enquanto ele era da ‘terceira string’. Mesmo assim, ele teve um grande impacto em mim. Fiquei impressionado como ele trabalhava os exercícios de condicionamento físico. E foi também a primeira vez que ouvi português e me lembro de ter pensado: ‘isso é legal, quero aprender eventualmente’. Recordo das primeiras palavras que ele me ensinou: ‘mais ou menos’ – recordou.

- Ele me mostrou alguns highlights de football na praia e outros highlights de full pads com o narrador berrando: TOUCHDOWN HEEEEEEEEEERRRRRRRROOOOONNNNNNN. Também recordo que foi legal e maluco que um brasileiro estava jogando no JUCO, da Califórnia, e como isso foi interessante e uma grande choque de cultura para ele. É muito similar para mim, 14 anos mais tarde – finalizou sobre o tempo que passou com Heron Azevedo na universidade.

Sobre esse desafio no Ceará Caçadores, Joey Bradley se mostra bastante motivado em ter um impacto positivo no time e no FABR. Questionado sobre algumas perdas de peças para o arquirrival Fortaleza Tritões, o norte-americano acredita que o elenco atual da equipe é suficiente para uma grande campanha.

- O núcleo da equipe ainda está aqui e ganhamos reforços, como, por exemplo, Gabriel Marques (linebacker) e Well Garcia (running back). Para mim, não é um ano da reconstrução, mas se outras pessoas querem acreditar isso, tudo bem. Depois a pandemia e na última temporada, o que precisámos trocar aqui foi a cultura. O coach Pedro e eu, juntamente com a comissão técnica, queremos fazer coisas da maneira certa. Então, pode esperar que vamos trabalhar duro e com disciplina nas três fases do jogo – afirmou o jogador do Ceará Caçadores.

Carreira no futebol americano

Em 2022, Joey Bradley estava no Kuopio Steelers, da Finlândia, onde teve uma temporada invicta com 14 vitórias e levantou a taça do campeonato nacional. Na Europa, o quarterback também passou por Lisboa Delvis (Portugal), L'Hospitalet Pioners (Espanha), Gdynia Seahawks (Polônia) e Vysocina Gladiators (República Tcheca). Ele conquistou o bicampeonato português (onde nunca perdeu e teve uma sequência de 21 vitórias seguidas) e o bicampeonato finlandês. Esta será a nona temporada do quarterback fora dos Estados Unidos.

Nos Estados Unidos, Joey Bradley foi indicado ao prêmio Harlon Hill na Universidade de New Haven (Div. II) após lançar para 2.652 jardas e 20 touchdowns em seu último ano.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.

<