Lance Professor promove oficinas esportivas para combater o trabalho infantil entre crianças e jovens

Professor promove oficinas esportivas para combater o trabalho infantil entre crianças e jovens

Educador é parceiro no programa ARISE, projeto já ajudou mais de 4 mil crianças e adolescentes

Lance
Lance

Lance

Lance

Por meio do esporte, o professor de educação física, Leonardo Guimarães, tem auxiliado no combate ao trabalho infantil. Aproveitando o contraturno escolar, ele ministra oficinas esportivas em três escolas de Sobradinho (RS): Seomar Mainardi e Dr. Adolpho Sebastiany, há três anos, e Geralcino Dorneles, que passou a contar com as oficinas voltadas ao esporte neste ano.

A convivência e apoio a mais de 50 crianças e jovens foi interrompida por conta da pandemia e, a partir de então, o professor precisou nadar contra a maré para manter esse sonho vivo.

Segundo o relatório da OIT e da UNICEF, no mundo, quase 28% das crianças de 5 a 11 anos e 35% dos meninos e meninas de 12 a 14 anos em situação de trabalho infantil estão fora da escola e a luta do professor tem sido diminuir cada vez mais esses números.

Devido à pandemia, as aulas presenciais foram suspensas e foi preciso reinventar a forma de dar aulas e manter o projeto vivo.

- Foi um grande desafio, mas por meio de uma parceria com o Conselho Municipal da Educação, criamos a página no Facebook ‘Brincando de Sonhar’, onde foi possível promover ações de forma on-line e as crianças participaram enviando os seus vídeos. Foi uma maneira que encontramos de continuar e isso nos ajudou muito a nos reaproximar, mesmo que à distância - conta o Professor Leonardo

A iniciativa tem como um dos objetivos principais avançar na redução do trabalho de crianças e adolescentes, sendo essa também uma das metas da Agenda de 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, das Nações Unidas, que visa erradicar qualquer tipo de trabalho infantil até 2025.

Transformação por meio do esporte

Por meio do ARISE são contratados professores que ministram oficinas de esportes, dança, música, entre outras. Guimarães é um dos professores oficineiros contratados pelo programa e que, apesar de todos os desafios, têm transformado a vida de crianças e jovens por meio do incentivo à prática de esportes.

O professor acredita que o esporte tem o poder de transformar vidas; essa tem sido uma atividade fundamental e uma válvula de escape para possibilitar novas perspectivas a crianças e jovens.

- Todo programa e projeto social que vem para somar é muito importante, pois fazem com que os alunos tenham um direcionamento positivo ao longo da vida, uma vez que daqui a 10 ou 20 anos elas serão o futuro do próprio País. Nós ficamos muito gratos de poder ajudar a construir esse futuro agora - afirma.

Orgulho em ser educador
Por fim, Guimarães afirma que a escolha em ser professor veio pela responsabilidade na vida das crianças e adolescentes, pois ser formador de uma pessoa envolve muito afeto e carinho.

- Os primeiros formadores são os pais e os segundos são os professores, pois a criança passa a maior parte do tempo na escola. Esse papel é fundamental na formação, no crescimento pessoal, portanto, eu tenho muito orgulho dessa profissão. Eu não só passo conhecimento, mas também aprendo todos os dias com as crianças, isso é muito gratificante - complementa.

O Programa ARISE
Até o momento, o programa já beneficiou mais de 4 mil crianças e adolescentes em diferentes iniciativas que passam pelas oficinas e cursos no turno inverso nas escolas parceiras, apoio às redes de proteção da criança e adolescente, entre outras ações.

Ao longo de nove anos de existência, o programa ARISE tem colhido resultados expressivos, atuando em 10 municípios do Rio Grande do Sul, atingindo cerca de 100 mil pessoas, entre elas, cerca de 2 mil crianças por ano. Além disso, o programa impacta 300 professores capacitados e recapacitados, em média por ano, e 697 mães capacitadas em oficinas voltadas ao empreendedorismo e geração de renda.

Últimas