Presidente do Vitória, sobre abrir mão de salário: 'Claro que não'

Paulo Carneiro ainda disse que atitude tomada por Geninho em não receber direitos de imagem foi algo 'que ele esperava' questionando ausência de partidas

Lance

Lance

Lance

Ao contrário da atitude tomada pelo técnico Geninho em não receber os chamados direitos de imagem durante a paralisação das atividades, o presidente do Vitória, Paulo Carneiro, disse que não tomará nenhuma medida de corte de gastos em relação aos seus próprios vencimentos.

Falando de maneira direta sobre o tema em entrevista ao canal no YouTube do jornalista Jorge Nicola, o dirigente pontuou que nenhuma pessoa que tenha um "vultoso salário" abre mão de seus ganhos em hipótese alguma.

Sobre Geninho, ele pontuou que a atitude do treinador não foi apenas "algo que ele esperava", mas também justificável pela ausência de receitas sem as competições em curso, algo que atrapalharia em arcar com o salário do técnico.

- Claro que não. Alguém abre mão de vultoso salário, Jorge? Eu não abro. Como sou eu que contrato Geninho, eu preferi afastar Geninho e ele só volta quando o futebol voltar. Se eu sou o contratante, eu tenho que ganhar um salário vultoso, não é não? (...) (Geninho) abriu mão de 90% da imagem. E o salário em carteira é muito pequeno. Ele fez o que eu esperava. O Vitória não vai conseguir pagar um salário a um treinador sem jogo. Como se faz isso?

A informação apurada pelo portal Bahia Notícias é de que o salário de Paulo Carneiro no clube Rubro-Negro é de R$ 25 mil.