Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Preocupação do Palmeiras com a arbitragem vai além das expulsões de Abel Ferreira

Clube teme falta de critério no uso da recomendação da 'tolerância zero', que entrou em vigor no Brasileirão

Lance|

Lance
Lance Lance

As recorrentes expulsões do técnico Abel Ferreira não preocupam o Palmeiras. A inquietação do clube vai além dos sete cartões vermelhos apresentados ao português em toda sua passagem pelo Alviverde. Na verdade, a atual 'dor de cabeça' da diretoria com a arbitragem brasileira está ligada à nova recomendação da 'tolerância zero'.

> Veja tabela e classificação da Brasileirão-2023 clicando aqui

Segundo apurou a reportagem do LANCE!, a direção palmeirense acredita que a falta de critério é o principal ponto de interrogação. O clube teme que a aplicação da recomendação pode se tornar desmedida e, com isso, a equipe pode perder atletas em jogos importantes pelo acúmulo de cartões amarelos ou vermelhos, distribuídos desnecessariamente.

BRASILEIRÃO

Publicidade

+ Todos os jogos do Brasileirão você encontra no Prime Video. Assine já e acompanhe o seu time do coração!

> Abel Ferreira sobe de posição: saiba os técnicos com mais títulos na história do Palmeiras

Publicidade

A RECOMENDAÇÃO

Com objetivo de acabar com as 'rodinhas' de jogadores em cima de árbitros e assistentes, a CBF determinou punições com cartões aos atletas que proferirem reclamações à equipe de arbitragem.

Publicidade

A rigorosa recomendação entrou em vigor na primeira rodada do Brasileirão, durante o último final de semana. Ao todo, foram distribuídos 21 cartões amarelos, dois vermelhos e somente dois confrontos — Botafogo x São Paulo e Bragantino x Bahia — não tiveram advertências neste sentido.

EXPULSÃO DE ABEL FOI COM ANTIGO CONHECIDO

O treinador português soma seis expulsões em torneios nacionais e uma na Recopa Sul-Americana. As últimas três punições máximas ao profissional — contra Santos (Brasileirão 2022), Flamengo (Supercopa 2023) e Cuiabá (Brasileirão 2023) — tiveram uma coincidência: o assistente das partidas era Bruno Boschilia.

- O fiscal de linha (auxiliar) me chamou em espanhol. Eu sou português, de Portugal, falo a mesma língua. O que me mata é chegar em casa e ter a minha mulher, as minhas filhas, porque estou fazendo um esforço enorme para melhorar. Isso tira a vontade de ser treinador e continuar aqui - destacou Abel Ferreira em entrevista coletiva após a vitória por 2 a 1 sobre o Cuiabá, no último sábado (15).

- Expulsei diretamente por: sair da sua área técnica e ir em direção ao arbitro assistente 01 gesticulando e proferindo aos gritos as seguintes palavras "Que arbitragem de m****" - diz a súmula da partida, escrita pelo árbitro Paulo Cesar Zanovelli da Silva.

Há quem diga que esse seria um dos temores do Palmeiras sobre a tolerância zero. Por exemplo, Abel pode estar marcado negativamente pelo assistente em questão e acabar punido de maneira desmedida, prejudicando o clube.

Abel Ferreira - Palmeiras x Água Santa
Abel Ferreira - Palmeiras x Água Santa Abel Ferreira - Palmeiras x Água Santa

Abel não entendeu última expulsão (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

O QUE A PRESIDENTE DIZ

A esposa e as filhas de Abel Ferreira reclamam das expulsões do treinador, mas a presidente Leila Pereira não.

- O Abel fica muito incomodado quando acontece esse tipo de coisa. O Abel é um profissional muito sério, trabalhador, focado, humilde, um lutador ao nosso lado. Na beira do campo, é um estresse. Dou total liberdade para o Abel fazer o que quiser na beira do campo e nas entrevistas. Eu não vou tirar a essência do nosso treinador. Tanto no momento de êxito, quanto nos difíceis. Eu não trato desse assunto como o Abel, dou liberdade - disse a mandatária alviverde, em sabatina com jornalistas exibida pela rádio 365 no último domingo (16).

Leila Pereira - Coletiva Palmeiras
Leila Pereira - Coletiva Palmeiras Leila Pereira - Coletiva Palmeiras

Leila Pereira não se preocupa especificamente com as expulsões de Abel (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

PALMEIRAS NÃO RECEBEU PALESTRA DA CBF

Uma palestra promovida pela CBF, com a intenção de anunciar as novas recomendações, foi agendada para ser ministrada na Academia de Futebol entre os jogos das finais do Paulistão. Além disso, na semana em questão, o Palmeiras ainda viajou à Bolívia para enfrentar o Bolívar, pela estreia na Libertadores.

Por essas razões, o clube acabou não conseguindo receber a equipe da Confederação. No entanto, a instituição máxima do futebol brasileiro encaminhou o material ao Verdão, que informou aos jogadores as novas medidas.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.