Lance Orgulhoso com o bronze em Tóquio, Scheffer se empolga: ‘Minha prova foi uma pintura do Monet’

Orgulhoso com o bronze em Tóquio, Scheffer se empolga: ‘Minha prova foi uma pintura do Monet’

Fernando Scheffer chegou ao Brasil, mas já se prepara para voltar às competições

Lance
  • Lance | por Lance

Lance

Lance

Lance

A alegria de Fernando Scheffer foi vista de longe, mesmo depois de trinta horas em um avião na volta para o Brasil, ele não perdeu a animação e comemorou com a mãe Adriana, no aeroporto. O nadador que foi bronze nos 200m livre nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e também finalista dos 4x200m livre, chegou no Rio de Janeiro na madrugada deste sábado (31). Ele recebeu o apelido de "Monet" dos colegas de piscina ainda no Grêmio Náutico União (RS), e em referência a isso falou da "obra de arte" que estava pendurada no peito ao relembrar contente da prova.

- Desde o início meu objetivo era não me cobrar por resultados, queria pensar na minha performance, no meu melhor. A prova estava aberta, uma final olímpica não tem favorito. Tentei focar no que eu tinha que fazer e deu certo. Bater na borda, olhar o placar e ver o pódio. Depois que saí da piscina, vi o meu irmão na tela e, mesmo sendo a distância, foi uma sensação muito especial. Todo o esforço valeu a pena. Todo mundo brinca que a minha prova foi uma ‘pintura do Monet’. Essa medalha é meio que a minha obra de arte. - contou Fernando ao Time Brasil.

O atleta não para um segundo, mesmo depois da medalha ele não terá férias, voltando à piscina para competir daqui a em pouco mais de uma semana. Scheffer só deve ter pausa na agenda em dezembro.

- E agora só vamos nos reencontrar no Natal. - disse Adriana, triste por ter que se despedir de novo do filho. - É muita emoção. Eu choro o tempo todo. Lembro dele pequenininho, de tudo que ele fez, de toda a luta para chegar até aqui. Só quem vive isso de perto que sabe. Tenho muito orgulho dele.

Quando tinha dez anos o nadador tirou uma foto com sua inspiração Cesar Cielo, depois do ouro conquistado em Pequim-2008. Agora a foto pode se repetir, só que é Fernando Scheffer quem vai levar uma medalha no peito:

- Tenho que achar aquela foto com o Cielo e repetir, agora com a medalha. Eu era muito pequeno quando ele foi campeão olímpico, estava começando a competir. Cielo, Borges e Xuxa são ícones, é bacana tê-los por perto, eles nos mostraram o caminho. - revelou o recordista sul-americano dos 200m, que tem o tempo de 1min44s66.

Entre tantos famosos, o campeão mundial no 4x200m em piscina curta e ouro nos 200m e 4x200m nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019, não esperava postagem de Ronaldinho o homenageando:

- Foi uma surpresa, nunca imaginei que o Ronaldinho fosse me conhecer! Fiquei bem feliz. - finalizou o nadador para o Time Brasil.

Veja abaixo o quadro de medalhas e calendário dos Jogos Olímpicos de Tóquio:

Últimas