Lance Observatório de direitos humanos responsabiliza Fifa por Copa 'manchada por abusos'

Observatório de direitos humanos responsabiliza Fifa por Copa 'manchada por abusos'

A ONG também distribuiu um "guia para repórteres" para profissionais que vão trabalhar no país

Lance
Lance

Lance

Lance

A ONG Human Rights Watch (HRW) voltou a responsabilizar a Fifa por uma Copa do Mundo "manchada por abusos" e distribuiu um "guia para repórteres", para ajudar profissionais de imprensa que cobrirão o torneio, em manual que destaca os direitos trabalhistas e reformas necessárias para o Qatar. Em um comunicado divulgado hoje, a organização falou sobre como foi a escolha do país pela Fifa para sediar o Mundial.

- Sem a devida diligência em matéria de direitos humanos e sem estabelecer condições sobre a proteção dos trabalhadores migrantes, que seriam necessários para construir a enorme infraestrutura. A Fifa, além disso, não examinou as preocupações sobre os direitos humanos dos jornalistas ou a discriminação sistêmica que enfrentam as mulheres, as pessoas LGBTI e outras pessoas no Qatar. - aponta a nota.


-Devido que o Qatar carecia de infraestrutura para a Copa do Mundo, seriam necessários milhões de trabalhadores migrantes para construí-la, como oito estádios, expansão de um aeroporto, novo metrô, diversos hotéis e outra infraestrutura chave, a um custo estimado de US$ 220 bilhões. A Fifa não impôs condições rígidas para proteger aos trabalhadores e se converteu em um facilitador complacente dos abusos generalizados que sofriam os trabalhadores, incluídas taxas ilegais de contratação, roubo de salários, lesões e mortes. - aponta o comunicado da ONG.

A organização ainda responsabiliza a Fifa pelos operários e trabalhadores:

- A Fifa é responsável não só pelos operários dos estádios, mas também pelos trabalhadores que constroem projetos para preparação e entrega do torneio, incluindo transporte e hospedagem, segurança, limpeza e paisagismo. - afirma em nota.

A ONG pede para que a entidade "identifique e corrija os abusos, de acordo com os Princípios Reitores das Nações Unidas sobre as Empresas e Direitos Humanos", dado que "tem recursos suficientes" para fazer isso, já que são esperadas receitas de mais de US$ 6 bilhões na Copa do Mundo deste ano.

Junto com a nota oficial, a HRW distribuiu um "guia para repórteres", em que resume as preocupações sobre preparativos e a organização da Copa do Mundo deste ano, descrevendo problemas mais amplos com a proteção dos direitos humanos no Qatar.

O manual também descreve as políticas de direitos humanos da Fifa e como a entidade pode abordar de maneira mais efetiva as violações graves no país.

Últimas