Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

!No sufoco! Suécia sofre, mas vira sobre a África do Sul na Copa do Mundo feminina

Hildah Magaio abriu o placar para as sul-africanas, mas Fridolina Rolfo e Amanda Ilestedt viraram para as europeias e garantiram...

Lance|

Lance
Lance Lance

Sob fortíssima chuva em Wellington, na Nova Zelândia, a Suécia bateu de virada a África do Sul por 2 a 1, em jogo válido pela primeira rodada do grupo G da Copa do Mundo Feminina. Aos três minutos da segunda etapa, Hildah Magaio contou com rebote da goleira adversária para empurrar de coxa e abrir o placar para as sul-africanas; 12 minutos depois, Fridolina Rolfo também contou com ajuda da defesa oponente e, quase sem querer, empatou o confronto. No finalzinho, a jogada aérea fez as africanas de vítima e Amanda Ilestedt cabeceou para dar números finais ao jogo.

+ Confira as informações e notícias da Copa do Mundo Feminina

Com o resultado, a Suécia na frente do grupo G momentaneamente, com três pontos e um de saldo, enquanto a África do Sul assumiu a lanterna com zero pontos e -1 de saldo. Itália e Argentina estreiam na madrugada de domingo para segunda, fechando a primeira rodada da chave.

+ Torça pela nossa Seleção Feminina com camisas a partir de R$29,90

Publicidade

Veja os cinco lances mais importantes do encontro

!CUIDADO, GOLEIRONA! A primeira chance perigosa seria da Suécia, à meia-hora de jogo. Em jogada rápida pelo corredor direito, Johanna Rytting Kaneryd conduziu em velocidade e tentou o cruzamento, bloqueado pela marcação. A sobra ficou com Filippa Angeldahl, que fez triangulação e levantou na segunda trave. A goleira africana, Kaylin Swart, saiu do gol, mas calculou mal o tempo da bola e passou um pouco da reta. Ainda assim, conseguiu esticar a mão direita e empurrou para escanteio, quase marcando contra, mas evitando a chegada em disparada de Blackstenius para marcar.

Publicidade

!PELO ALTO! Aos 42 minutos, a bola aérea novamente seria perigo para a equipe europeia. Jonna Andersson cobrou escanteio pelo lado direito ofensivo e levantou na área. Quem apareceu para ganhar pelo alto foi Amanda Ilestedt, que antecipou mais uma saída de Swart e cabeceou forte, mas rente ao travessão, quase abrindo o placar.

!ZEBRA NA NOVA ZELÂNDIA! Aos três minutos da segunda etapa, a zagueira Bongeka Gamede lançou pelo meio, Kholosa Biyana desviou e fez a bola chegar no lado esquerdo da área para Thembi Kgatlana. A habilidosa e ousada camisa 11 partiu para a jogada individual, trouxe para a perna direita e finalizou. A bola desviou em Ilestedt e a goleira Zecira Musovic ainda conseguiu espalmar, mas no rebote, Hildah Magaia foi mais rápida que Andersson e empurrou para o gol vazio com a coxa. Na dividida, a atacante sul-africana ainda caiu estranho dentro das redes e precisou ser substituída com dores no braço direito, mas nada anularia o tento de sua equipe.

Publicidade

!CONTANDO COM A SORTE! A Suécia empatou o jogo aos 15 minutos com uma ajudinha da sorte. Em jogada pelo lado direito, Kaneryd fez um cruzamento com força e veneno. A bola passou por Blackstenius, na primeira trave, e a defensora Lebohang Ramalepe acabou furando. Despretensiosa, Fridolina Rolfo viu a bola bater em sua perna e, lentamente, percorrer o caminho do gol fugindo da goleira Swart para empatar o confronto.

!NO FINAL! A jogada aérea faria as africanas vítimas novamente. Em escanteio cobrado pelo lado esquerdo de ataque, Kosovare Asllani jogou na entrada da pequena área. Livre de marcação, Ilestedt cabeceou novamente, desta vez acertando o alvo e tirando chances de defesa de Swart. Vitória no finalzinho e com muito custo para a equipe europeia.

Publicidade

Como foi o primeiro tempo?

As duas equipes trataram a metade inicial como uma espécie de fim de jogo. Ambas atacavam em bloco e encontravam um grande espaço na recomposição adversária. A África do Sul mostrou pouco repertório no último terço do campo, tanto que o lance de mais perigo foi uma finalização quase do meio de campo. Já a Suécia procurava oportunidades pelo alto, onde levou mais perigo, mas também não conseguiu encontrar os melhores espaços para abrir o placar; por isso, o 0 a 0 insistiu em ficar no marcador.

E o segundo tempo?

Sem muita demora, a África do Sul teve um pouco mais de contundência na finalização e contaria com a sorte. Após chute de Kgatlana, a bola desviou em Ilestedt e obrigou a goleira Musovic a espalmar de qualquer maneira, permitindo a chegada de Magaio para abrir o placar. A partir do gol, as africanas recuaram e o jogo ficou todo no controle das europeias. A pressão surtiria efeito aos 15 minutos, quando, em cruzamento da direita, Ramalepe furou e a bola bateu em Rolfo antes de entrar. Sem se dar por satisfeitas com a igualdade, as suecas seguiram na pressão e o chuveirinho, no fim, resultou em cabeçada de Ilestedt após escanteio para sacramentar a virada e colocar um ponto final no passeio da zebra pela Nova Zelândia.

Como ficou a situação das seleções?

Com a virada, a Suécia largou na frente do grupo G, com três pontos e um gol de saldo. Já a África do Sul assumiu momentaneamente a lanterna do grupo, com zero pontos e -1 de saldo. Argentina e Itália, que completam a chave, ainda jogarão na madrugada de domingo para segunda para encerrar a primeira rodada e dar números finais à classificação.

FICHA TÉCNICA

Suécia 2x1 África do Sul

Data e horário: domingo, 23/07/2023, às 2h (horário de Brasília)

Local: Sky Stadium, em Wellington (NZE)

Arbitragem: Ekaterina Katja Koroleva (árbitra), Katie Nesbitt e Felisha Mariscal (auxiliares), Kim Yujeong (quarta árbitra), Carol Anne Chenard e Tatiana Guzman (VAR)

Público: 18.317 pessoas presentes

Cartões amarelos: Kholosa Biyana e Refiloe Jane (AFS)

Gols: Fridolina Rolfo (SUE), aos 15' do segundo tempo e Amanda Ilestedt (SUE), aos 44' do segundo tempo; Hildah Magaia (AFS), aos 3' do segundo tempo

SUÉCIA (Técnico: Peter Gerhardsson)

Zecira Musovic; Nathalie Bjorn, Johanna Rytting Kaneryd (Lina Hurtig), Amanda Ilestedt, Magdalena Eriksson e Jonna Andersson; Elin Rubensson (Caroline Seger), Kosovare Asllani, Filippa Angeldahl (Hanna Bennison) e Fridolina Rolfo (Olivia Schough); Stina Blackstenius (Rebecka Blomqvist)

ÁFRICA DO SUL (Treinadora: Desiree Ellis)

Kaylin Swart; Lebohang Ramalepe, Bambanane Mbane, Bongeka Gamede e Sibulele Holweni; Refiloe Jane, Kholosa Biyana, Hildah Magaia (Gabriela Salgado) e Jermaine Seoposenwe; Thembi Kgatlana e Linda Motlhalo (Nomvula Kgoale)

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.