Lance No mata-mata da Série D, técnico da Portuguesa fala sobre conseguir o acesso: 'Seria uma benção'

No mata-mata da Série D, técnico da Portuguesa fala sobre conseguir o acesso: 'Seria uma benção'

Fernando Marchiori destacou a campanha da Lusa na fase de grupos, pregou respeito ao adversário e mostrou gratidão por treinar o clube no qual iniciou sua carreira esportiva

Lance
Lance

Lance

Lance

A Portuguesa começa mais um importante caminho em sua reconstrução. O tradicional clube paulista encara, no domingo (12), às 15h, o Caxias, pela segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro 2021, e o LANCE! conversou com Fernando Marchiori, técnico responsável pelo projeto que pode recolocar a Lusa de volta ao protagonismo brasileiro.

Saída de Daniel Alves do São Paulo gera enxurrada de memes na web

Após empate sem gols diante do Cianorte, a Portuguesa assegurou o primeiro lugar do Grupo 7, e Marchiori destacou a superação de sua equipe em meio a tantas adversidades na fase de grupos.

- Nós fomos a única equipe de Série A2 no grupo. As demais equipes eram todas de primeiras divisões em seus estados, com cotas financeiras bem altas. E mesmo assim, permanecemos dentro do G4, sendo líder em boa parte da competição. Foi muito bom, conseguir devolver ao torcedor essa dignidade. Sabemos que as dificuldades são muito grandes, e com o trabalho e luta de todos, conseguimos dar essa alegria para a torcida. - disse o técnico.

VEJA COMO FICOU A CLASSIFICAÇÃO DA SÉRIE D DO BRASILEIRÃO

O comandante da Lusa reconheceu a grandeza do Caxias-RS, adversário no mata-mata, e pregou foco para conseguir vencer o duelo eliminatório.

- O Caxias é uma equipe tradicional, como a nossa. Em relação à confiança, os dois lados têm. Precisamos seguir com a nossa situação de trabalho que nos trouxe até aqui. O primeiro jogo é de fundamental importância. Temos um adversário duríssimo, que vem brigando todos os anos nessa divisão, e no seu estadual vai muito bem. Precisamos ter tranquilidade e seguirmos focados para tentar avançar. Sabemos que são dois dois de muito equilíbrio. - ponderou.

Além de brigar pelo acesso, a Portuguesa começa, na próxima semana, a Copa Paulista. Em 2020, a Lusa garantiu o título da competição, o que permitiu disputar a Série D. Sobre conciliar as duas competições, Marchiori destacou a força do elenco e a importância de retornar aos grandes campeonatos.

- Estamos com um bom elenco. E com isso, nós vamos fortes para todas as competições. Era isso que gostaríamos para a Portuguesa. Uma equipe com calendário, que pudesse jogar com frequência. Isso era o que nos gostaríamos que acontecesse, e aconteceu. Agora precisamos de foco e pés no chão para que a gente consiga ir construindo isso a cada etapa, cada campeonato, e quanto antes e possível, devolver a Portuguesa aos degraus maiores. - disse.

Antes de virar técnico, Marchiori foi jogador e iniciou a sua carreira nas categorias de base da Portuguesa, em 1993. Pela Lusa, o meia teve suas primeiras chances na equipe principal e ainda foi convocado para a Seleção Brasileira Sub-20.

Com apoio da diretoria e bons resultados, ele se tornou o terceiro técnico com mais jogos em tempo ininterrupto na Portuguesa no século XXI, com 57 partidas. Ainda, é um dos mais longevos em todo o futebol brasileiro, há exatos 577 dias no comando da equipe.

Marchiori expressou gratidão ao poder treinar o clube que o projetou ao cenário nacional, e disse que o acesso à Série C seria uma benção para o clube.

- Eu iniciei como atleta aqui dentro, então quando recebi o convite do presidente, me senti no dever e na obrigação, pelo momento difícil do clube, de tentar ajudar, ser mais um colaborador. Hoje, eu fico muito feliz, estou há um ano e oito meses, e devolvendo a Portuguesa a sua dignidade esportiva. Os resultados que eu conquistei mostram que a continuidade, a sequência e reestruturação, acontecendo de uma maneira correta, cada vez mais chegamos perto dos objetivos. Temos que seguir. Se vier agora o acesso, em um ano de pandemia, seria uma benção de Deus espetacular. - concluiu o treinador da Lusa.

Últimas