Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Neto comenta falhas de Cássio em derrota: 'Não deve mais jogar no Corinthians'

Cássio falhou no gol que gerou o gol do Argentinos Juniors

Lance

Lance|Do R7


Craque Neto fez um forte desabafo após a derrota do Corinthians contra o Argentinos Juniors, pela Copa Sul-Americana. Durante o programa 'Os Donos da Bola', da TV Band, disparou contra a falha de Cássio no gol do time argentino.

Neto disse que 'deixar Cássio no banco' não é uma opção e que é preciso 'cuidar do maior ídolo da história do clube', se utilizando como comparação.

- Não é deixar o Cássio na reserva. É cuidar do ser humano. É nítido que ele precisa de ajuda. É o maior ídolo da história. Não é possível que vão fazer a mesma coisa que fizeram comigo, de eu achar que não prestava, de ter saído pela porta dos fundos - disse.

➡️Siga o Lance! Fora de Campo no WhatsApp e saiba o que rola fora das 4 linhas

Neto também fez fortes críticas a membros da diretoria, citando também gestões passadas, como a de Duílio Monteiro Alves.

- Aconteceu com o Marcelinho, com o Sócrates, com o Edilson, com o Rivellino. Vocês são trituradores de ídolos. O Cássio não merece isso. Ele não precisa ir para a reserva, ele tem que ficar descansando, treinar, aliviar a cabeça dele. O problema do Corinthians não é o Cássio; é o Andrés Sanchez, Roberto de Andrade, Mário Gobbi, Duílio, o Augusto agora - completou.

Neto disse que Cássio precisa de 'ajuda'. Segundo suas palavras, 'se todos os problemas são com ele, deve deixar o Corinthians'.

- Se eu colocar os números do Cássio, vocês vão repensar. O Cássio precisa de ajuda psicológica, de um psiquiatra. É muito difícil ser ídolo do Corinthians. Todos os problemas são com ele? O Cássio não deve jogar mais. Eu pensava diferente, porque ele é muito bom, o maior goleiro da história do Corinthians - concluiu.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.