Nacional promete ir à Fifa cobrar por Borja; Verdão fala em acordo verbal

Por contrato, o Palmeiras deveria depositar US$ 3 milhões ao clube colombiano caso não negociasse o atacante até agosto deste ano, mas diretoria paulista diz que não há prazo

Lance

Lance

Lance

O Atlético Nacional promete ir à Fifa para cobrar o Palmeiras em relação a Miguel Borja. Por contrato, o Verdão deveria pagar US$ 3 milhões (R$ 12,6 milhões, na cotação atual) aos colombianos se não vendesse o centroavante até agosto deste ano. O depósito ainda não foi feito, e os dois clubes devem discutir o caso por meios judiciais.

- O tema de Miguel Ángel Borja continua igual. Não recebemos o pagamento no tempo estabelecido e já levamos para as instâncias da Fifa - disse Juan David Perez, presidente do Atlético Nacional, ex-clube de Borja, em declaração divulgada no Twitter oficial da equipe de Medellin.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão clicando aqui

Ao concluir a aquisição de Miguel Borja, em operação finalizada em 17 de fevereiro de 2017, o Palmeiras pagou US$ 10,5 milhões (R$ 32,5 milhões na época) por 70% dos seus direitos econômicos. Ficou acertado que o Verdão teria de repassar 30% da venda do camisa 9 ao Atlético Nacional ou, caso ele não seja negociado até 17 de agosto de 2019 (exatos dois anos e meio após a contratação), desembolsar US$ 3 milhões para ficar com 100% do jogador.

O Atlético tinha a opção de ficaria com esses direitos econômicos restantes, informou que gostaria de receber os US$ 3 milhões. Segundo o Palmeiras, porém, o contrato não diz que esse pagamento deveria ocorrer imediatamente e afirma ter feito um acordo verbal para repassar o valor no momento da venda. Nenhuma notificação da Fifa chegou ainda ao Verdão.

De qualquer forma, é possível que o Palmeiras desembolse, no total, US$ 13,5 milhões (mais de R$ 45 milhões) por um centroavante em baixa, que chegou a ser terceira opção na posição no elenco, tanto com o técnico Luiz Felipe Scolari quanto com Mano Menezes.

O clube recebeu neste ano quatro propostas do exterior por ele: duas da China, uma dos Estados Unidos e outra do México. A diretoria não confirma essas ofertas, mas o LANCE! apurou que houve acerto da parte do clube com todas essas quatro equipes, mantidas sob sigilo. Borja, porém, não topou ir para nenhum desses times.

No mês passado, depois de um desentendimento com Mano, Borja chegou a dizer que sairia do Palmeiras sem problemas. O atacante e seus empresários sempre destacam a torcida pelo Junior Barranquilla. Ainda assim, é possível que o centroavante seja titular do Verdão nesta quinta-feira, contra o Goiás, em Campinas, já que Luiz Adriano segue com problemas físicos.