Lance Nº 1 do Beach Tennis, Calbucci se recupera da COVID-19: 'Afeta o mental e o corpo'

Nº 1 do Beach Tennis, Calbucci se recupera da COVID-19: 'Afeta o mental e o corpo'

Atleta ficou 21 dias em confinamento e sofrendo com a doença

Lance
Lance

Lance

Lance

Alessandro Calbucci, número 1 do mundo do Beach Tennis, ficou por três semanas confinado e contou ao canal Tênis News no Youtube em detalhes sobre o COVID-19 o qual sofreu e precisou de ausentar do torneio Copa alive em Búzios (RJ) que atuaria com Marcus Ferreira.

"Infelizmente depois de voltar de viagens para clínicas e administrar cursos de capacitação senti sintomas esquisitos e fui direto fazer o teste de COVID-19 e detectaram o positivo e obviamente comecei meu isolamento e tratamento . Infelizmente nós atletas do Beach Tennis não recebemos nenhum auxílio, de ajuda nesses meses e não tínhamos outra solução a não ser viajar para dar clínicas e cursos . Comecei meu tratamento e entrei direto em um dos problemas da doença que é o corpo, de descansar, ela pega muito a cabeça , enfrentar a doença sozinho. No meio de muitas informações divergentes. Os médicos mesmo com as melhores intenções, cada um tem a própria posição que é a favor do tratamento precoce, quem é contra, eu também comi ítalo-carioca, de duas escolas, europeia e sul-americana. Resumindo, cada um precisa fazer a própria escolha e comecei a tomar antibióticos, azitromicina , antiinflamatório, nimesulida, , tomei cortisona que foi objeto de discussão e divergência entre os médicos . Fiquei bastante mal por 14 dias, muito cansado, sinusite, dor de cabeça, febre constante de 37 e pouco, pulmão felizmente não foi comprometido em mais que 20% , obviamente tive problema de respiração e esse cansaço permanente . Depois do 15º dia comecei a melhorar um pouquinho , agora estou bem fraquinho. minha forma física foi afetada, assim que reestabelecer voltarei a treinar com objetivo de estar como antes ou até melhor ali pela metade de agosto . Recomendo todo mundo se cuidar pois essa doença não é brincadeira , é séria . Cada corpo reage de uma forma , mas se cuidem muito, é a coisa mais importante."

"Tomara que a vacina seja uma solução, lá na Europa tem um movimento importante de proibição de regulamentação de vacinas, aqui no Brasil temos expectativas das vacinas resolverem nossos problemas. Que seja a vacina. que seja outra forma de cura, que possamos nos reencontrar rapidamente nas praias para jogar Beach Tennis, fazer torneios".

Últimas