Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Melo disputa nesta 2ª Feira, em Atlanta, sua milésima partida no circuito

Mineiro estreia às 12h ao lado de Peers no ATP 250

Lance

Lance|Do R7


Lance
Melo e Peers / Torneio de Halle / Mathias Schultz

A estreia no ATP 250 de Atlanta, nos Estados Unidos, marca mais um momento muito especial e histórico na carreira de Marcelo Melo. Ao entrar em quadra nesta segunda-feira (24), o mineiro vai jogar a sua partida de número 1.000 no circuito, na 17ª temporada seguida como profissional.

Melo e o australiano John Peers enfrentam, nesta primeira rodada, o venezuelano Luís David Martinez e o norte-americano Reese Stalder, às 12h (horário de Brasília).

O jogo número 1.000 de Melo dá início à gira em quadras rápidas da dupla. Esta é a terceira vez que o mineiro estará em Atlanta. E o décimo torneio de Melo e Peers juntos na temporada 2023. A parceria vem de um balanço muito positivo na grama, com o título no ATP 500 de Halle, na Alemanha, e as ótimas atuações em Wimbledon, chegando até as oitavas de final do Grand Slam, em Londres, na Inglaterra.

Entre os jogadores de dupla em atividade, Melo é o primeiro no circuito a chegar aos 1.000 jogos. Antes, 13 duplistas atingiram e superaram essa marca.

Publicidade

"Sem palavras para descrever este momento. Mais uma marca histórica na minha carreira. Muito feliz por chegar a esses 1.000 jogos, que tantas lembranças trazem do que já vivi no circuito", afirma Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro e BMG, com apoio de Volvo, Head, Voss e Asics.

Nos 999 jogos até agora, foram 607 vitórias de uma carreira que soma 37 títulos – recordista brasileiro. São dois Grand Slam, nove Masters 1000, além de 11 ATP 500 e 15 ATP 250. Já a histórica marca de 600 vitórias foi alcançada na estreia em Roland Garros, na edição 2023 do Grand Slam, em Paris, na França.

Publicidade

Ao longo das 17 temporadas, a lembrança de jogos que ficarão para sempre na memória. Como a conquista de seu primeiro Grand Slam, em 2015, no torneio de Roland Garros, ao lado do croata Ivan Dodig. Sem falar na final de julho de 2017, quando realizou o grande sonho de ser campeão em Wimbledon, com o polonês Lukasz Kubot. E no primeiro título ATP da carreira, no Estoril, em Portugal, na temporada 2007, um ATP 250 que deu início às conquistas, com o também mineiro André Sá.

É o duplista mais vitorioso em atividade no circuito e o maior vencedor entre os brasileiros, número 1 do Brasil em duplas. Ao longo desses 1.000 jogos, se tornou recordista em títulos, número de vitórias, participações em Grand Slam, ATP Finals e semanas no topo do ranking. São 63 edições de Grand Slam e oito disputas seguidas do ATP Finals, completadas em 2020, vice-campeão com Kubot em 2017. 

Melo se tornou número 1 do mundo em duplas em 2015 e, depois, em 2017. Tem o recorde em semanas no topo do ranking da ATP – 56, único brasileiro na história a liderar o ranking mundial em duplas. E esteve entre os Top 10 por oito temporadas seguidas. Ao lado de Kubot, em 2017, terminou a temporada como dupla número 1 do mundo. 

Em Grand Slam, Melo tem também um vice em Londres (2013) e um vice (2018) e duas semifinais no US Open. E lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Xangai 2018 chegou ao nono, depois de ganhar Xangai (2013 e 2015), Paris (2015 e 2017), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.