Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Mano Menezes explica ausência de Cano em derrota do Fluminense para o Fortaleza

Argentino foi sacado do time titular e ficou como opção no banco de reservas, mas não entrou em campo

Lance

Lance|Do R7


Imagem da notícia

Técnico do Fluminense, Mano Menezes concedeu concedeu entrevista coletiva após a derrota por 1 a 0 para o Fortaleza neste domingo (7), na Arena Castelão, e explicou porque Germán Cano não entrou em campo. O argentino foi relacionado no banco de reservas, mas não participou da partida.

➡️ Projete a tabela de classificação do Brasileirão com o simulador do Lance!

— Ele não tinha condições de jogar. Trouxemos ele porque é um extraordinário profissional, mas não tinha condições de entrar. Por isso que ele não entrou e entrou o Kauã (Elias), que é outro menino. Existem características diferentes dos atacantes. Todos sabemos que o Cano é finalizador, essencialmente um finalizador, homem que faz gol com um toque, dois toques na bola. Esse tipo de jogador precisa muito da equipe, a equipe precisa levar a bola nessa condição para ele. Se fizer, ele vai voltar a fazer gol. Ele está dentro do contexto da equipe — explicou Mano Menezes.

Publicidade

Mano também analisou a partida no Castelão. O técnico reclamou da falta de tempo para treinar o time, e afirmou que a atuação do Fluminense deste domingo (7) foi "digna", exaltando o adversário.

— A análise como modo geral é que o adversário tem muito mérito. Impõe ritmo, disputa e futebol contra qualquer adversário. Achei que o Fluminense teve um comportamento digno. É o primeiro passo para o momento em que estamos. Vir aqui e brigar pelo resultado. Nos outros fundamentos, estivemos muito parelhos. Mas quando chegamos no último terço (do campo), ficou a diferença (nos tempos de trabalhos). O Fortaleza tinha uma ideia clara do que fazer para acabar as jogadas. Chutou pouco no gol, foi 6 a 7, mais teve mais escanteios e volume, que somam para chegar num gol de bola parada. Sofremos com isso. Bola parada ofensiva, por exemplo, é uma coisa que já vimos no jogo passado. Erramos cobrança, erramos posicionamento. E para isso precisa treinar — afirmou o treinador.

Publicidade

— Não fizemos treinos suficientes para resolver esses problemas defensivos e ofensivos. Vamos conseguir fazer isso depois do jogo contra o Criciúma, onde vamos parar por 10 dias. Ficamos chateados porque o momento é onde tudo custa caro. Mas temos que saber o que vamos cobrar e como vamos nos cobrar. Mostrar o caminho para as soluções — completou.

Confira outras respostas de Mano Menezes na entrevista coletiva após Fortaleza 1 x 0 Fluminense:

— Quando fui cumprimentar Vojvoda, disse a ele que estava vindo aqui com a terceira equipe diferente enfrentá-lo. Isso dá uma ideia dos problemas do futebol brasileiro. Como é bom ter um trabalho duradouro, como significa bastante para a estabilidade de uma equipe e como o contrário é verdadeiro na mesma proporção. À medida que vai trocando, trocando, trocando, a gente está sempre assumindo novos trabalhos, e isso sempre demora mais. Durante o Brasileiro, sempre é difícil remontar. São jogos muitos duros, com grau de dificuldade grande, e isso que estamos passando nesse momento.

— Felipe (Andrade) vem fazendo uma temporada muito boa, jogou muitas veze sob o comando do Marcão no Carioca. Com a ausência do André e a impossibilidade do Martinelli de continuar, pois estava muito desgastado, adiantamos ele um pouco para fazer a função de meio-campo. É um menino de caráter, de qualidade, que certamente vai ajudar o Fluminense e orgulhar muito mais vocês aqui.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.