Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Maior pontuadora da Superliga de Vôlei se despede do Brasil após ano traumático

Ponteira sérvia do Fluminense sofreu dois assaltos em 10 dias

Lance

Lance|Do R7

Lance
Lance Lance (Lance)

Ponteira do Fluminense e maior pontuadora da Superliga, Aleksandra Uzelac, anunciou sua saída do clube tricolor em suas redes sociais. A decisão da sérvia não surpreende, já que sua permanência era dúvida desde que a jogadora revelou em uma entrevista a um jornal de seu país que teria sofrido em fevereiro dois assaltos em um intervalo de 10 dias no Rio de Janeiro.

➡️ Siga o Lance! no WhatsApp e acompanhe em tempo real as principais notícias do esporte

Uzelac já havia se ausentado dos treinos e das partidas da Superliga Feminina e, neste sábado, dia seguinte após a eliminação do Fluminense nas quartas de final da competição, a jogadora anunciou sua despedida do Tricolor. O próximo destino será o vôlei turco.

TRADUÇÃO: - Por onde começar e o que dizer? Muitas coisas acontecem nesta vida e a vida sempre muda, oportunidades, experiências, altos e baixos. A vida é uma maravilha deste universo. Uma pessoa está em uma luta constante por si mesma e pelo seu sucesso, cada uma dessas lutas tem seu valor. Esta temporada teve um impacto enorme em mim, mudando-me tanto em termos de voleibol como de desenvolvimento pessoal! Depois de tudo o que aconteceu posso dizer que me sinto honrada por ter representado as cores deste time! Não posso dar crédito suficiente aos fãs maravilhosos que me apoiaram em tudo! Família fluminense. Outra experiência, outra lição! Desejo tudo de melhor para esta equipe no futuro! Obrigado FLU - escreveu Uzelac em post no Instagram.

Publicidade

Aleksandra Uzelac fez grande temporada, a ponteira foi a maior pontuadora da Superliga Feminina neste ano, mas depois de dois traumas, tudo mudou. A jogadora revelou ao jornal sérvio Mozzart Sport, que sofreu dois assaltos em um período de dez dias no Rio de Janeiro, durante o mês de fevereiro.

➡️Final da Copa do Mundo, Champions ou Super Bowl: o que dá mais audiência?

Publicidade

- Estava voltando do jantar com minha amiga, pedalando na ciclovia. Eles levantaram suas camisas e tiraram facões, facas realmente enormes. Eu nem sei como elas cabiam sob suas camisas. Comecei a gritar e não sabia o que fazer. Fui para a rua... Posso dizer que Deus me salvou porque não caí da bicicleta quando fui para a rua onde há carros e motos. Eu poderia ter sido atropelada por um carro, minha amiga não conseguiu atravessar, ela caiu. Um me seguiu e o outro foi até ela. Parei, larguei a bicicleta, esperei por minha amiga e parei um táxi. Não pude fazer mais nada... Fomos juntas à polícia, mas eles não fizeram nada lá, apenas nos levaram para casa mais tarde. Tudo aconteceu muito perto da delegacia. Fiquei muito traumatizada, foi muito assustador e não consigo tirar essa imagem da minha cabeça - revelou Aleksandra sobre o primeiro assalto, dez dias depois, ocorreu o outro.

- Eu estava voltando do clube para o meu apartamento. Homens saíram com pistolas e pararam na frente do carro e outros bateram em todas as portas com uma pistola. Eles gritaram para a gente dar tudo o que tinha. Abriram a porta e apontaram a arma na cabeça - contou a jogadora do Fluminense.

Publicidade

➡️ Georges St-Pierre admite que doença o levou à aposentadoria: ‘Pensei que tivesse câncer’

Depois dos episódios, a jogadora sérvia começou a sofrer com ataques de pânico, o que afastou a ponteira dos treinos e de algumas partidas do Fluminense na Superliga e na Copa Brasil de Vôlei.

- Estou com muita dificuldade para dormir, agora estou tomando remédio por causa de pesadelos, à noite. Ainda fico cansada porque durante dias não dormi nada. Só agora estou conseguindo fechar um pouco os olhos. Estou tentando me concentrar no vôlei, porque quero lidar com isso e seguir em frente - desabafou Aleksandra.

➡️ Jogador da NFL anuncia aposentadoria aos 28 anos por lesões no pescoço

O provável destino de Uzelac será a Turquia, onde terminará a preparação para os Jogos Olímpicos, em Paris. Com 19 anos, a ponteira é peça chave da seleção de seu país.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.