Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Máfia do Apito: lembre esquema que abalou o futebol brasileiro

Lance|

A repercussão da Operação Penalidade Máxima, que investiga sobre esquema de apostas no futebol brasileiro e que já tem, ao menos, 15 jogadores denunciados, agitou a grande mídia esportiva. Nesta galeria o LANCE! relembra um esquema de manipulação de resultados chamado de Máfia do Apito, que chegou a alterar a classificação do Brasileiro há quase 20 anos. Confira!
A repercussão da Operação Penalidade Máxima, que investiga sobre esquema de apostas no futebol brasileiro e que já tem, ao menos, 15 jogadores denunciados, agitou a grande mídia esportiva. Nesta galeria o LANCE! relembra um esquema de manipulação de re... A repercussão da Operação Penalidade Máxima, que investiga sobre esquema de apostas no futebol brasileiro e que já tem, ao menos, 15 jogadores denunciados, agitou a grande mídia esportiva. Nesta galeria o LANCE! relembra um esquema de manipulação de resultados chamado de Máfia do Apito, que chegou a alterar a classificação do Brasileiro há quase 20 anos. Confira!
No dia 23 de setembro de 2005, o futebol brasileiro conheceu seu primeiro grande escândalo de manipulação de resultados após uma denúncia feita pela revista
No dia 23 de setembro de 2005, o futebol brasileiro conheceu seu primeiro grande escândalo de manipulação de resultados após uma denúncia feita pela revista No dia 23 de setembro de 2005, o futebol brasileiro conheceu seu primeiro grande escândalo de manipulação de resultados após uma denúncia feita pela revista
Árbitros estavam manipulando resultados de partidas dos principais torneios nacionais para ajudar apostadores a lucrarem com os placares encomendados.
Árbitros estavam manipulando resultados de partidas dos principais torneios nacionais para ajudar apostadores a lucrarem com os placares encomendados. Árbitros estavam manipulando resultados de partidas dos principais torneios nacionais para ajudar apostadores a lucrarem com os placares encomendados.
Segundo as investigações, um grupo de investidores negociou com o árbitro Edílson Pereira de Carvalho, à época um dos dez que faziam parte do quadro da Fifa no país, a garantia de resultados em sites de apostas em troca de quantias em dinheiro.
Segundo as investigações, um grupo de investidores negociou com o árbitro Edílson Pereira de Carvalho, à época um dos dez que faziam parte do quadro da Fifa no país, a garantia de resultados em sites de apostas em troca de quantias em dinheiro. Segundo as investigações, um grupo de investidores negociou com o árbitro Edílson Pereira de Carvalho, à época um dos dez que faziam parte do quadro da Fifa no país, a garantia de resultados em sites de apostas em troca de quantias em dinheiro.
Na manhã do dia seguinte a publicação da matéria, o árbitro Edilson Pereira de Carvalho, pivô do casa, foi preso em sua casa, em Jacareí, no interior de São Paulo.
Na manhã do dia seguinte a publicação da matéria, o árbitro Edilson Pereira de Carvalho, pivô do casa, foi preso em sua casa, em Jacareí, no interior de São Paulo. Na manhã do dia seguinte a publicação da matéria, o árbitro Edilson Pereira de Carvalho, pivô do casa, foi preso em sua casa, em Jacareí, no interior de São Paulo.
Ao mesmo tempo, a Polícia Federal deteve também, em uma boate na capital de São Paulo, o empresário Nagib Fayad, o
Ao mesmo tempo, a Polícia Federal deteve também, em uma boate na capital de São Paulo, o empresário Nagib Fayad, o Ao mesmo tempo, a Polícia Federal deteve também, em uma boate na capital de São Paulo, o empresário Nagib Fayad, o
Descobriu-se também o envolvimento de um segundo árbitro, Paulo José Danelon, que foi preso e denunciado pelo Ministério Público por estelionato, formação de quadrilha e falsidade ideológica, assim como Edílson Pereira de Carvalho.
Descobriu-se também o envolvimento de um segundo árbitro, Paulo José Danelon, que foi preso e denunciado pelo Ministério Público por estelionato, formação de quadrilha e falsidade ideológica, assim como Edílson Pereira de Carvalho. Descobriu-se também o envolvimento de um segundo árbitro, Paulo José Danelon, que foi preso e denunciado pelo Ministério Público por estelionato, formação de quadrilha e falsidade ideológica, assim como Edílson Pereira de Carvalho.
De acordo com as investigações, Edilson e Danelon interferiram nos resultados dos jogos em que eram escalados para que favorecessem os apostadores, comandados por Fayad. Os juízes recebiam cerca de R$ 10 mil por partida fraudada.
De acordo com as investigações, Edilson e Danelon interferiram nos resultados dos jogos em que eram escalados para que favorecessem os apostadores, comandados por Fayad. Os juízes recebiam cerca de R$ 10 mil por partida fraudada. De acordo com as investigações, Edilson e Danelon interferiram nos resultados dos jogos em que eram escalados para que favorecessem os apostadores, comandados por Fayad. Os juízes recebiam cerca de R$ 10 mil por partida fraudada.
O caso veio à tona durante a realização do Brasileirão de 2005. As suspeitas fizeram com que os 11 duelos apitados por Edilson no campeonato fossem anulados e disputados novamente. A decisão beneficiou o Corinthians, que pôde enfrentar novamente o Santos e o São Paulo.
O caso veio à tona durante a realização do Brasileirão de 2005. As suspeitas fizeram com que os 11 duelos apitados por Edilson no campeonato fossem anulados e disputados novamente. A decisão beneficiou o Corinthians, que pôde enfrentar novamente o Sant... O caso veio à tona durante a realização do Brasileirão de 2005. As suspeitas fizeram com que os 11 duelos apitados por Edilson no campeonato fossem anulados e disputados novamente. A decisão beneficiou o Corinthians, que pôde enfrentar novamente o Santos e o São Paulo.
Derrotado nas duas partidas em que o árbitro esteve em campo, o Timão venceu o Peixe e empatou com o Tricolor nos novos confrontos, conquistado quatro pontos a mais naquela edição do Brasileiro.
Derrotado nas duas partidas em que o árbitro esteve em campo, o Timão venceu o Peixe e empatou com o Tricolor nos novos confrontos, conquistado quatro pontos a mais naquela edição do Brasileiro. Derrotado nas duas partidas em que o árbitro esteve em campo, o Timão venceu o Peixe e empatou com o Tricolor nos novos confrontos, conquistado quatro pontos a mais naquela edição do Brasileiro.
O escândalo alterou a classificação do torneio, que teve o Corinthians como campeão, três pontos à frente do Internacional.
O escândalo alterou a classificação do torneio, que teve o Corinthians como campeão, três pontos à frente do Internacional. O escândalo alterou a classificação do torneio, que teve o Corinthians como campeão, três pontos à frente do Internacional.
Se os placares originais tivessem sido mantidos, os gaúchos teriam vencido o Campeonato Brasileiro com um ponto a mais do que os paulistas.
Se os placares originais tivessem sido mantidos, os gaúchos teriam vencido o Campeonato Brasileiro com um ponto a mais do que os paulistas. Se os placares originais tivessem sido mantidos, os gaúchos teriam vencido o Campeonato Brasileiro com um ponto a mais do que os paulistas.
Além disso, as investigações apontam que os árbitros teriam interferido nos resultados de diversas competições, como a Libertadores, a Sul-Americana, o Paulistão e os Brasileirões das Séries A e B.
Além disso, as investigações apontam que os árbitros teriam interferido nos resultados de diversas competições, como a Libertadores, a Sul-Americana, o Paulistão e os Brasileirões das Séries A e B. Além disso, as investigações apontam que os árbitros teriam interferido nos resultados de diversas competições, como a Libertadores, a Sul-Americana, o Paulistão e os Brasileirões das Séries A e B.
Os árbitros Edilson e Danelon foram excluídos do futebol e se tornaram réus em uma ação penal, assim como Fayad e outros quatro participantes da máfia. Porém, processo em que eram acusados de estelionato foi suspenso.
Os árbitros Edilson e Danelon foram excluídos do futebol e se tornaram réus em uma ação penal, assim como Fayad e outros quatro participantes da máfia. Porém, processo em que eram acusados de estelionato foi suspenso. Os árbitros Edilson e Danelon foram excluídos do futebol e se tornaram réus em uma ação penal, assim como Fayad e outros quatro participantes da máfia. Porém, processo em que eram acusados de estelionato foi suspenso.
O Tribunal de Justiça de São Paulo avaliou que não foi cometido crime – as fraudes esportivas só foram tipificadas em 2010, com a inclusão de um artigo no Estatuto do Torcedor.
O Tribunal de Justiça de São Paulo avaliou que não foi cometido crime – as fraudes esportivas só foram tipificadas em 2010, com a inclusão de um artigo no Estatuto do Torcedor. O Tribunal de Justiça de São Paulo avaliou que não foi cometido crime – as fraudes esportivas só foram tipificadas em 2010, com a inclusão de um artigo no Estatuto do Torcedor.
Os 11 jogos do Campeonato Brasileiro de 2005 que foram anulados são: Vasco 0x1 Botafogo (foto); Ponte Preta 1x0 São Paulo; Paysandu 1x2 Cruzeiro; Juventude 1x4 Figueirense; Santos 4x2 Corinthians; Vasco 2x1 Figueirense; Cruzeiro 4x1 Botafogo; Juventude 2x0 Fluminense; Internacional 3x2 Coritiba; São Paulo 3x2 Corinthians e Fluminense 3x0 Brasiliense.
Os 11 jogos do Campeonato Brasileiro de 2005 que foram anulados são: Vasco 0x1 Botafogo (foto); Ponte Preta 1x0 São Paulo; Paysandu 1x2 Cruzeiro; Juventude 1x4 Figueirense; Santos 4x2 Corinthians; Vasco 2x1 Figueirense; Cruzeiro 4x1 Botafogo; Juventude... Os 11 jogos do Campeonato Brasileiro de 2005 que foram anulados são: Vasco 0x1 Botafogo (foto); Ponte Preta 1x0 São Paulo; Paysandu 1x2 Cruzeiro; Juventude 1x4 Figueirense; Santos 4x2 Corinthians; Vasco 2x1 Figueirense; Cruzeiro 4x1 Botafogo; Juventude 2x0 Fluminense; Internacional 3x2 Coritiba; São Paulo 3x2 Corinthians e Fluminense 3x0 Brasiliense.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.