Lance Lisca cobra reforços no Vasco: 'Temos muita coisa boa, mas precisamos de correções. Isso é bem visível'

Lisca cobra reforços no Vasco: 'Temos muita coisa boa, mas precisamos de correções. Isso é bem visível'

Após terceira derrota seguida, técnico do Cruz-Maltino diz ter avaliação das necessidades do elenco, mas ressalta que as fará se não for demitido pela diretoria de Jorge Salgado

Lance
Lance

Lance

Lance

Terceira derrota seguida. Tão ruim quanto a posição do Vasco na Série B - 11º - é o início de trabalho de Lisca pelo Cruz-Maltino. Após o resultado de 2 a 0 para o Operário, o treinador, menos abatido do que depois do último revés, afirmou que a equipe precisa de reforços. E que ele indicará quais ao presidente do clube, Jorge Salgado, e ao diretor executivo de futebol do clube, Alexandre Pássaro.

- Não posso falar que o elenco foi mal montado, seria falta de respeito com o Pássaro, com o presidente e com a diretoria. Mas o primeiro turno mostrou. Aqui tem ótimos jogadores, garotada, mas a competição é diferente. Muitas vezes a imposição é na força. O Vasco já jogou a Série B, mas tem que se adaptar. Não estou sem alma, mas não adianta ficar me estrebuchando na beira do campo - ressaltou Lisca sobre o comportamento discreto ao longo da partida deste sábado. E ele adicionou:

- Seria falta de caráter falar que o grupo foi mal montado. Temos muita coisa boa, mas precisamos de correções. Isso é bem visível para todos. É hora de fazer um sacrifício. Precisamos achar soluções para 20 milhões de pessoas. Eu lutei muito para chegar até aqui. Eu me dediquei muito para chegar num clube como o Vasco e não estou nada satisfeito. Quero mostrar que não estou aqui de paraquedas. Tenho diagnóstico de um mês de trabalho. O campeonato está mostrando ser duro, parelho. Vimos um time (Operário) que não articulou muito, mas foi eficaz - analisou Lisca.

-> Confira a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

Durante a entrevista coletiva, o técnico do Vasco usou pelo menos três vezes a expressão "Se a diretoria me permitir", sobre dar sequência ao trabalho e não ser demitido. Até o momento, no entanto, não há sinalização de mudança no comando técnico.

Últimas