Lance Justiça carioca aceita denúncia e Felipe Cesarano vira réu por homicídio culposo

Justiça carioca aceita denúncia e Felipe Cesarano vira réu por homicídio culposo

Surfista causou acidente automobilístico que deixou um morto enquanto dirigia alcoolizado a 140km/h

Lance
Lance

Lance

Lance

A Justiça do Rio de Janeiro aceitou a denúncia do Ministério Público contra o surfista de ondas gigantes Felipe Cesarano, conhecido como Gordo. Ele foi preso em flagrante, em dezembro de 2020, quando causou uma colisão de veículos que matou o sargento da Marinha Diogo Silva, de 36 anos. Gordo agora é réu no caso onde será julgado por homicídio culposo (quando não há intenção de matar mas há imprudência ou negligência) com agravante de ingestão de bebidas alcoólicas.

> Confira a classificação atualizada da reta final do Brasileiro 2020 e simule os resultados do seu time

O laudo policial apontou que o surfista ria, apresentava fala confusa e não conseguia realizar "manobras neurológicas" de forma adequada durante o Exame de Alcoolemia. Segundo a investigação da Polícia Civil, Felipe Gordo gastou mais de R$ 900 em bebidas alcoólicas antes da colisão. A juíza Simone de Faria Ferraz, da 23ª Vara Criminal, destacou o Exame na sua decisão.

A colisão ocorreu com o carro do surfista na quarta-feira, 16 de dezembro de 2020, e terminou com a morte do motorista do outro veículo, identificado como Diogo da Silva, sargento da Marinha, que não resistiu aos ferimentos. O corpo da vítima, de 36 anos, foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). Por sua vez, Cesarano sofreu apenas ferimentos leves e recebeu atendimento do Corpo de Bombeiros ainda na pista

Últimas