Lance Jogo vertical e intenso: Palmeiras já reforça identidade no início de 2019

Jogo vertical e intenso: Palmeiras já reforça identidade no início de 2019

Primeiro trabalho técnico do ano teve ideais de Felipão definidos e mostrados para reforços. Meta é aperfeiçoar estilo  campeão brasileiro de 2018

O primeiro trabalho técnico da temporada teve os ideais do técnico bem definidos e apresentados para os reforços. Meta é aperfeiçoar o estilo que foi campeão brasileiro

Lance

Lance

Lance

O Palmeiras teve no domingo seu primeiro treino efetivamente técnico na pré-temporada de 2019. Foi a chance para Luiz Felipe Scolari mostrar aos novatos de seu elenco a identidade que começou a formar em 2018 e planeja aperfeiçoar agora. Um jogo intenso e vertical, como na campanha do título brasileiro, e com conceitos já aplicados no quarto dia de trabalho.

- Mostramos aos jogadores que estão chegando nosso modelo de jogo na parte defensiva. A gente colocou em prática nossa linha defensiva, onde trabalhamos coberturas. Foi um trabalho bom, intenso, mentalizando a forma como jogamos sem a bola. Automaticamente, a equipe que estava com a bola trabalha a transição na horizontal, com rapidez e infiltração. Já temos uma identidade e foi bom para os jogadores que estão chegando - disse o auxiliar Paulo Turra, à TV Palmeiras.

Na manhã de domingo, Turra ficou responsável por cuidar do posicionamento defensivo. Desde a chegada de Felipão, o time tornou-se muito mais seguro e acabou como a melhor defesa do Campeonato Brasileiro. O zagueiro Juninho, o lateral-direito Fabiano, e o volante Matheus Fernandes são os que se aproveitaram dessa atividade.

Carlos Pracidelli, o outro homem de confiança de Scolari, cuidou da parte ofensiva. Ainda que o estilo de jogo alviverde seja bem vertical, buscando o centroavante para fazer o pivô ou a casquinha, a comissão técnica entende que o Palmeiras pode ter mais a bola em 2019. Allione, Raphael Veiga, Zé Rafael, Arthur Cabral, Carlos Eduardo, Felipe Pires e Erik foram os novatos que tiraram vantagem dessa etapa do trabalho.

- Temos uma equipe agressiva, que joga de forma vertical. Quisemos mostrar aos jogadores que estão chegando e aos que já estão aqui de manter o pensamento agressivo, de forma vertical. Procurei colocar posse de bola, infiltrações, lançamentos (no treino). Temos jogadores habilidosos e velozes - acrescentou Pracidelli.

Além de não ter perdido nenhum jogador decisivo na campanha do título, Felipão ainda recebeu atletas para resolver carências detectados por ele, como nas pontas.

No momento, o grupo tem 36 atletas, mas deve ficar mais enxuto - só podem ser inscritos 26 atletas no Paulista e 30 na Libertadores. O clube ainda tenta contratar Ricardo Goulart, meia-atacante do Guangzhou Evergrande (CHN), que trata sua lesão no joelho direito na Academia de Futebol.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook. 

Cozinheiro turco queridinho dos boleiros faz até bife banhado a ouro