Lance Izabela Rodrigues compete a final do lançamento do disco em Tóquio no mesmo dia do seu aniversário

Izabela Rodrigues compete a final do lançamento do disco em Tóquio no mesmo dia do seu aniversário

Velocista enfrentou uma longa jornada até aqui, mas medalha pode vir a ser um belo presente, tanto pra ela quanto para o Brasil

Lance
  • Lance | por Lance

Lance

Lance

Lance

A atleta de lançamento do disco, Izabela Rodrigues da Silva completa 26 anos nesta segunda-feira (02). E o maior presente pode vir a ser uma medalha neste mesmo dia, já que ela compete a final dos Jogos Olímpicos de Tóquio, a partir das 8h (de Brasília), no Estádio Olímpico do Japão.

Ela tem pela frente adversárias fortes, como a cubana Yaimé Perez, que foi ouro no mundial em Doha, em 2019, e a croata Sandra Perkovic, que foi campeã nas duas últimas Olimpíadas, além de outras atletas. A aniversariante, que foi medalha de ouro no Mundial Sub-20 de 2014, nos Estados Unidos, sempre teve o sonho de competir no Japão.

- É o meu país favorito desde quando era pequena em Adamantina - disse à Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), referindo-se a cidade em que nasceu. - Sempre foi um sonho vir para cá - comentou feliz a atleta.

A integrante do Instituto Elisângela Maria Adriano (IEMA) já pensou em deixar o esporte de lado após várias lesões. O maior problema de saúde foi quando precisou ficar internada na emergência, em 2015, para uma cirurgia de apendicite.

- A recuperação foi muito difícil. Tive vontade de desistir, mas agora estou em uma final olímpica - comentou à CBAt.

Sua colegas de delegação Ana Carolina de Azevedo e Vitoria Rosa competiram na noite deste domingo (01) as eliminatórias dos 200m, no Estádio Olímpico, mas não avançaram às semifinais. Mesmo assim Ana conseguiu sua melhor marca da temporada, com 23s20, mesmo ao terminar em quinto lugar na primeira série.

- Para ir à semifinal teria de correr abaixo de 23 segundos. A minha melhor marca, de 23.01, estava consciente de que peguei uma série forte e de que daria o meu melhor. Está bem quente - não dá para aquecer muito para não perder energia para competir -, mas a pista está bem rápida, do jeito que a gente ama, está maravilhosa - finalizou a atleta ao CBAt.

Já Vitoria Rosa terminou com 23s59, na sexta posição da quarta série. A velocista teve preparação difícil, pois enfrentou a recuperação de uma fratura por estresse acima do tornozelo.

- Não deu para repetir bons resultados, mas estamos aqui para tentar. Agora é ter foco no revezamento 4x100 m. Estamos trabalhando faz anos para tentar buscar uma final, tomando cuidados para não pisar na linha, e se fizermos tudo certinho esperamos que o resultado venha - concluiu a atleta ao CBAt.

Veja abaixo o quadro de medalhas e o calendário dos Jogos Olímpicos de Tóquio:

Últimas