Hulk se reapresenta na China sem ter treinado no Palmeiras

Rumores de que poderia ficar no Verdão causaram desconforto no Shanghai SIPG, que desistiu de liberá-lo para treinar no clube brasileiro

Hulk manteve a forma em academia de São Paulo

Hulk manteve a forma em academia de São Paulo

Reprodução/Instagram

Hulk se reapresentará ao Shanghai SIPG neste fim de semana, sem ter treinado no Palmeiras, seu time do coração, enquanto os campeonatos na Ásia ficaram paralisados por conta do coronavírus. Chegou a ter uma liberação apalavrada do clube da China para que o atacante trabalhasse alguns dias na Academia de Futebol, mas um desconforto atrapalhou.

O jogador conheceu a estrutura do centro de treinamento do Verdão em 18 de fevereiro e, como a paralisação do futebol asiático se estendeu mais do que o planejado, pediu e conseguiu aval de seu clube para treinar na Academia. Mas a forma como a notícia se espalhou, dando a entender que ele poderia ficar de vez no clube, fez os chineses mudarem de ideia.

Para poder treinar no Palmeiras, Hulk precisava que fosse enviado um seguro do Shanghai SIPG, caso ocorresse alguma lesão. Havia a expectativa de que ele começasse a trabalhar no clube paulista em 9 de março e, como não se sabia da força com que a pandemia chegaria ao Brasil, permaneceria até o final do mês na Academia. Mas o documento nunca chegou. Uma atitude que mostrou a irritação do clube que detém os direitos econômicos do atacante.

A experiência de treinar no time de infância duraria só uma semana, já que, na última segunda-feira, foi confirmada a paralisação de todos os torneios que o Verdão disputa e, também, das atividades na Academia de Futebol - com exceção para atletas lesionados do elenco atual, entre outros casos particulares. Hulk, então, manteve sua condição física em uma academia.

Veja mais: Jogos do Paulistão na capital serão disputados com portões fechados

Apesar de a proximidade entre Hulk e Palmeiras ter aumentado, o Shanghai SIPG nunca se mostrou disposto a cedê-lo. O clube chinês tem contrato com o atacante até dezembro e paga, segundo a revista France Football publicou em 2019, aproximadamente R$ 130 milhões por ano com seus salários, o que representa quase R$ 11 milhões por mês na cotação atual.

O Palmeiras, contudo, sempre apontou que a oportunidade só apareceria se o Shangai SIPG decidisse emprestar Hulk e ajudar, ao menos, com parte dos vencimentos. Mesmo para 2021, quando ele estará livre no mercado, o ânimo não aumenta muito. O Verdão crê que, como o atacante ainda tem mercado no exterior, os gastos com salários, luvas e comissões podem ser altos demais. Dependeria, basicamente, da vontade dele em ceder financeiramente para voltar ao Brasil e, enfim, realizar o sonho de atuar no time do coração.

O cenário mudou de vez atualmente. Enquanto o futebol brasileiro e sul-americano está paralisado por conta do coronavírus, a China, de onde surgiu o primeiro contágio, se prepara para retomar suas atividades. Por isso, está marcada a reapresentação de Hulk, com o resto do elenco, para o próximo fim de semana. As primeiras atividades devem ocorrer no domingo.

O período em São Paulo, ao menos, serviu para ver que o Palmeiras pode ser um destino quando Hulk decidir atuar no Brasil. No mês passado, o jogador de 33 anos de idade que nunca escondeu ser palmeirense, estreitou tanto suas relações que garantiu a presença dos filhos nas categorias de base do clube. Com a família, acompanhou a vitória por 3 a 1 sobre o Mirassol, em 16 de fevereiro, em camarote no Allianz Parque, convidado por João Paulo Sampaio, seu técnico no sub-16 do Vitória e atual coordenador da base do Verdão.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Nada de folga! Coronavírus obriga jogadores treinar em casa