Há 23 anos, Palmeiras estreava projeto para conquistar Libertadores

Clube goleou o Fluminense por 4 a 1 na estreia de Luiz Felipe Scolari e Alex, dois personagens que, em 99, ajudariam rumo ao título mais importante do alviverde

Lance

Lance

Lance

O dia 5 de julho de 1997 teria uma grande importância para o Palmeiras e seus objetivos nos anos seguintes, mas, na vitória por 4 a 1 sobre o Fluminense, no Palestra Itália naquela tarde, ainda não se sabia disso.

O alviverde estreava dois grandes nomes naquele primeiro jogo de Campeonato Brasileiro: o meia Alex e o técnico Luiz Felipe Scolari (em jogos oficiais), os quais, dois anos mais tarde, ajudariam (e muito) na conquista do maior título do clube: a Copa Libertadores de 1999. O treinador, aliás, não era uma aposta, mas uma certeza para a diretoria: em 95, havia conquistado o torneio continental comandando o Grêmio.

Dessa forma, há exatos 23 anos, o Palmeiras entrava em campo contra o Tricolor das Laranjeiras e goleava por 4 a 1, com gols de Edmílson (dois), Cris e Euller – foi o primeiro gol do Filho do Vento pelo alviverde, inclusive.

Essa nova era trouxe contratações pontuais para as disputas de títulos seguintes. Além de Alex e Euller, foram contratados também Júnior Tuchê, Neném e Amaral, com a saída de outros nomes, casos de Djalminha e Rincón. Naquele ano, porém, nada foi conquistado, ao contrário do que era esperado.

No entanto, com paciência, em 1998 os resultados começaram a aparecer em forma de títulos. O primeiro deles foi a Copa do Brasil, quando o clube derrotou o Cruzeiro na grande final. Na partida de ida, no Mineirão, a Raposa marcou 1 a 0, mas, na volta, Paulo Nunes e Oséas deixaram os seus e ajudaram na conquista da primeira taça da competição.

Em 1999, aquilo que começou a ser projetado em 5 de julho de 97, definitivamente deu seu principal fruto. A história todo palmeirense conhece: o clube passou da fase de grupos em segundo da chave 3, atrás do rival Corinthians; eliminou Vasco (oitavas), o próprio Corinthians (quartas), River Plate (semifinal) e, por fim, o Deportivo Cali, para conquistar o primeiro, e até agora único, título da Copa Libertadores de sua história.

Felipão também apostou em outro grande nome naquela época: o goleiro Marcos. Com lesão de Velloso, subiu à condição de arqueiro titular, a pedido do técnico, e foi determinante para a conquista, sendo eleito o melhor jogador do torneio. Além dos dois títulos, o Palmeiras conquistou com Felipão e Alex, nesta passagem, a Copa Mercosul (98) e o Torneio Rio-São Paulo (2000), fechando uma era vitoriosa do clube.