Galo oferece suporte jurídico à vítima de injúria racial e expulsa irmãos do quadro de sócios-torcedores

O presidente Sérgio Sette Câmara recebeu Fábio Coutinho, segurança do Mineirão, e ofertou os préstimos do seu escritório de advocacia caso ele busque seus direitos na Justiça

Lance

Lance

Lance

O presidente do Atlético-MG,Sérgio Sette Câmara, em nome do clube se posicionou de forma positiva contra o ato de injúria racial cometido por dois torcedores do clube após o clássico contra o Cruzeiro contra o segurança do estádio, Fábio Coutinho.

O mandatário do Galo pediu desculpas em nome da instituição ao segurança, que também torce para o alvinegro e colocou à disposição o seu escritório de advocacia para prestar assistência jurídica. Sette Câmara falou para Fábio buscar seus direitos na justiça durante o encontro na sede do clube e registrado pela TV Galo.

- É um absurdo o que aconteceu. Pedi desculpas a ele e sei que aquilo ali não é do torcedor do Atlético. O torcedor do Atlético é multirracial, temos grandes ídolos negros. Até disse a ele: "Olha, Fábio, fiquei admirado com seu profissionalismo. Acho que você tem que buscar a reparação desse dano moral que você sofreu. Não apenas por você, mas também por outras tantas pessoas que todo dia sofrem esse tipo de injúria racial". Isso acontece todos os dias Brasil afora - disse o presidente atleticano, para em seguida defender a luta contra o racismo.

- A gente tem que ser anti-racista. É uma campanha que temos que começar. Isso é um absurdo. Fiz questão de receber o Fábio aqui (na sede). Coloquei meu escritório à disposição para que ele possa buscar esse direito dele de reparação.

O presidente fez outro gesto contra o ato dos torcedores lembrando as origens do Clube Atlético Mineiro.

-O Atlético é preto e branco. O Atlético é de todas as raças. Queria te dar um abraço, agradecer por ter vindo aqui e pedir que você busque, em seu nome e no nome de todas as outras pessoas que sofrem com isso, sua reparação. Temos que mudar - disse Sérgio Sette Câmara a Fábio Coutinho.

Exclusão do quadro de sócios

Os irmãos Adrierre Siqueira da Silva, de 37 anos, e Natan Siqueira Silva, acusados do crime de injúria racial, foram expulsos do quadro de sócios-torcedores do Atlético-MG.

A medida foi tomada pelo clube nesta terça-feira,12 de novembro, e emitiu uma nota explicando os motivos da exclusão de Adrierre e Natan. Confira a nota do Galo.

-O Clube Atlético Mineiro informa que os dois torcedores identificados pela Polícia Civil, acusados de praticar injúria racial no clássico do último domingo, pertenciam ao programa Galo na Veia, embora inadimplentes. De qualquer forma, ambos foram desligados do programa de sócio-torcedor do clube.