Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Washington 'Coração Valente' compara Fluminense atual com o de 2008 e vê Tricolor com grandes chances de vencer a Libertadores

Ex-atacante foi homenageado na Calçada da Fama do Maracanã

Futebol|Do R7


Lance
LANCE

Ídolo do Fluminense, Washington esteve presente na campanha em que o Tricolor chegou na decisão da Libertadores, mas acabou perdendo para a LDU nos pênaltis, há 15 anos. Após ter sido homenageado na Calçada da Fama do Maracanã, o ex-jogador acredita que o atual elenco comandado por Fernando Diniz esteja mais preparado que o de 2008.

- O time tem hoje tem muita qualidade como tinha aquele de 2008. Não só dentro de campo, mas a torcida, diretoria estão mais vividas, mais experientes. Eles estão mais preparados por ser uma segunda oportunidade, e acredito que essa oportunidade não será perdida. Claro que é muito difícil, mas as chances são muito grandes de o Fluminense conquistar a Libertadores - disse.

+ Confira a classificação do Brasileirão

+ Lance! Betting: concorra a ingressos para a final da Libertadores da América!

Publicidade

O veterano também comentou sobre o duelo com o Internacional na semifinal da competição que será realizado no Maracanã, nesta quarta-feira (27). Apesar de acreditar em uma partida muito equilibrada, o Coração Valente enxerga um leve favoritismo para o Time de Guerreiros devido ao momento do time:

- Dificílimo. O Internacional é uma grande equipe, copeiro. Vai ser um jogo complicado, mas acredito que o Fluminense esteja vivendo um melhor momento e tem tudo para conseguir essa classificação para a final.

Publicidade

+ Garanta a sua vaga no curso que formou craques como Pet, Dante e Léo Moura! Cupom: LANCE1000

Washington também revelou uma mágoa por não ter tido um pênalti marcado na decisão da Libertadores 2008 contra a LDU. O ex-jogador afirmou que o lance não precisaria nem do VAR e lamentou o fato de que o Fluminense poderia estar brigando pelo bicampeonato da competição mais importante da América do Sul.

- Não precisava nem de VAR para marcar aquele pênalti que eu sofri. Foi muito claro. Claro que se houvesse o VAR, ele corrigiria o erro que o árbitro cometeu. Poderia ter sido diferente. Poderíamos estar lutando pelo bicampeonato. Faz parte do futebol - disse.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.