Futebol Veja cinco motivos para Gabriel Jesus sair do Manchester City

Veja cinco motivos para Gabriel Jesus sair do Manchester City

Em ano de Copa do Mundo, atacante busca assumir protagonismo em um novo lugar

Lance
Lance

Lance

Lance

Gabriel Jesus está disposto a deixar o Manchester City e buscar um novo clube para jogar na próxima temporada. O LANCE! lista cinco motivos que levam o camisa nove a buscar novos ares na carreira após cinco anos defendendo os Sky Blues.

ANO DE COPA DO MUNDO
​Homem de confiança no início da "Era Tite", Gabriel Jesus vem perdendo espaço na Seleção Brasileira. Das últimas cinco convocações, o atacante esteve presente na lista em três oportunidades, tendo iniciado no banco de reserva nos três últimos jogos. É hora do atleta buscar mais protagonismo em uma nova equipe visando o Mundial que acontece no fim de 2022.

> Veja a tabela da Premier League

MAIS TEMPO DE JOGO
​Na atual temporada, Gabriel Jesus participou de 33 partidas com o Manchester City, sendo 21 jogos como titular. No entanto, o jogador deve encerrar a campanha com menos minutos do que nos dois últimos anos em que esteve na Inglaterra. Além disso, o atleta tem enfrentado a concorrência de Mahrez, Foden, Grealish e Sterling no setor ofensivo.

POSSÍVEL CHEGADA DE HAALAND
​Além da forte concorrência no atual elenco, a imprensa inglesa afirma que o Manchester City está próximo de um acordo pela contratação de Erling Haaland. O centroavante do Borussia Dortmund chegaria com o status de grande estrela do time de Pep Guardiola.

TEMPO DE CONTRATO
​Gabriel Jesus tem contrato com o Manchester City até 2023. A saída do camisa nove na próxima janela de transferências seria boa também para o clube da Premier League, uma vez que o jogador pode sair da equipe sem custos caso permaneça até o fim da próxima temporada.

EM BUSCA DO PROTAGONISMO
​Desde a sua chegada no Manchester City, Jesus vivia na sombra de Kun Agüero. Com a saída do argentino, havia a expectativa de que o brasileiro conquistasse mais protagonismo dentro do plantel comandando por Guardiola, o que não aconteceu.

Últimas