Futebol Troca no comando e queda de rendimento: Fluminense fecha dezembro mais distante do G6

Troca no comando e queda de rendimento: Fluminense fecha dezembro mais distante do G6

Após crescer no Brasileirão e entrar na disputa por uma vaga na Libertadores 2021 sob o comando de Odair Hellmann, Tricolor não vence há 3 partidas desde a volta de Marcão

Lance
Lance

Lance

Lance

Apesar das eliminações nas Copas (do Brasil e Sul-Americana), o Fluminense construiu um boa campanha no Brasileirão e entrou de vez na disputa por uma vaga na próxima edição da Libertadores. Porém, com a saída do técnico Odair Hellmann, que assinou com o Al-Wasl. dos Emirados Árabes, o time teve uma queda de rendimento e não conseguiu mais vencer desde o retorno de Marcão à beira do campo.

+Confira e simule a classificação do Campeonato Brasileiro

No início de dezembro, o Tricolor das Laranjeiras brigava de maneira concreta por uma vaga no G4 e chegou a figurar entre os quatro primeiros colocados da competição. O time venceu apenas uma em dezembro, no último jogo sob o comando de Odair, diante do Athletico-PR, no Maracanã. Nesta mesma semana, o treinador decidiu deixar o Flu e aproveitar uma vantajosa oportunidade financeira fora do país.

+Retrospectiva: os 20 momentos mais marcantes do Fluminense na década

Com o retorno de Marcão, que também comandou a equipe em 2019, foram duas derrotas contra Atlético Goianiense e São Paulo, em Goiânia e no Maracanã, e um empate no clássico diante do Vasco, em São Januário. Mais que isso, o que se viu em campo foi uma queda brusca de rendimento, com a equipe apresentando menos intensidade e falhas defensivas.

+Olho no mercado: veja 20 jogadores que poderão ser contratados de graça a partir de 2021

O ano chega ao fim, e é tempo de fazer um balanço sobre tudo que aconteceu em 2020. No entanto, os clubes brasileiros não terão tempo para isso, já que a temporada continua e o Brasileirão só termina em fevereiro. Com isso, o Tricolor volta a campo no dia 6 de janeiro contra o Flamengo, no Maracanã. Segundo números do estudo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o time tem 25% de chance de garantir uma vaga na competição continental.

Com 41 pontos em 27 partidas, o Fluminense viu o pelotão da frente se distanciar e no momento está há 4 pontos do Palmeiras, atual sexto colocado do Brasileirão. No entanto, existe a possibilidade de virar G7, já que o Alviverde e o Grêmio estão na final da Copa do Brasil. Em relação ao G4, a distância é ainda maior com sete pontos a menos que o Internacional, último na zona de classificação para a fase de grupos da Copa Libertadores 2021.

Mesmo tendo liberado os jogadores e dado folga durante três dias desta última semana do ano, a equipe terá tempo para trabalhar. Marcão precisa corrigir os erros e fazer com que o time reencontre não só o caminho das vitórias, como sua maneira de jogar nesses 11 jogos que restam. Uma forma que deu resultados na primeira parte do Brasileirão e trouxe a esperança ao torcedor tricolor de retornar à competição continental.

Em janeiro, após o FlaxFlu, o time terá um confronto direto contra o Corinthians, na Neo Química Arena. A partir disso, os duelos serão com equipes da parte de baixo da tabela. Com isso, o Flu inicia 2021 com cinco partidas contra times quer lutam para se afastar da zona de rebaixamento. Sport, Botafogo e Goiás, em casa, e Coritiba e Bahia (no início de fevereiro), fora.

- É difícil pontuar algo específico. Cada jogo tem sua particularidade. Contra o São Paulo foi definido em detalhes, com o Vasco já no final. O que não pode faltar é dedicação, garra, concentração, a força de querer vencer e continuar lá em cima na tabela. Sabemos que são 11 finais agora. O grupo está focado nisso. Queremos o melhor para vencer não só para suprir a expectativa do torcedor, mas as nossas. Estamos fechados aqui para fazer uma grande campanha. Tenho certeza que vamos conseguir - afirmou Yago Felipe.

Últimas