Tiago Nunes explica carência em função ofensiva no Corinthians

Técnico lamenta não ter conseguido encaixar jogador de velocidade para atuar pelo lado do campo, próximo do Jô. Mais de cinco já foram testados

Técnico disse que ainda não achou um jogador de velocidade para o ataque

Técnico disse que ainda não achou um jogador de velocidade para o ataque

Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Mesmo com uma considerável melhora do time após a paralisação, é certo que a torcida do Corinthians está longe de ficar satisfeita com as atuações recentes. Além da qualidade do jogo ser bastante pobre, faltam peças que algumas ideias do jogador possam ser colocadas em prática pelo treinador, principalmente no setor ofensivo. Algo que o próprio Tiago Nunes expôs após o empate em 0 a 0 com o Grêmio, fora de casa, no último sábado, pelo Brasileiro.

Para o comandante corintiano, a equipe ainda está em processo de desenvolvimento e passa por problemas naturais dentro desse contexto, sendo que as deficiências mais evidentes estão no setor ofensivo do Timão.

- A gente tem que ter a reflexão do que é ser ofensivo, porque se eu pegar a referência só de posse de bola, nós tivemos uma posse de bola igual a do Grêmio, tivemos 50/50 o jogo todo e o que nos faltou foi o melhor aproveitamento na parte ofensiva, na última parte do campo, os laterais chegarem um pouco mais e daqui a pouco encaixar um atacante nessa equipe.

O atacante que Tiago Nunes ainda quer encaixar precisa ter características bastante específicas, que até aqui não foram identificadas nos diversos testes feitos desde a chegada do treinador ao clube. Trata-se de um atleta que tenha velocidade e atue pelo lado do campo, dando profundidade ao time

Veja mais: Torcida está diferente! Veja situações inusitadas em jogos sem público

- A gente precisa encaixar um atacante de velocidade, um jogador que dê mais profundidade para se aproximar mais do Jô também, então são questões que têm que evoluir como equipe, mas que fazem parte natural do processo de construção de uma equipe que tem essa característica de jogo - disse o técnico.

Nos últimos jogos, Tiago tem utilizado em seu time titular jogadores que não dispõem dessas características, como Mateus Vital, um meia, e Ramiro, que tem mais cacoetes de marcador do que de atacante. Mas até chegar a essa configuração, não faltaram tentativas com peças disponíveis no elenco desde o início desta temporada. Foram elas: Everaldo, Janderson, Madson (deixou o clube), Yony González (deixou o clube), Matheus Davó e Léo Natel.

Nenhum deles, como já sabemos, conseguiu ter sequência. Com exceção de Natel, que chegou há pouco tempo e ainda não teve chance como titular, os outros não foram aprovados na função. Yony, que ganharia mais tempo após a paralisação, foi devolvido ao Benfica antes mesmo do reinício do Paulistão. Janderson, por sua vez, nem foi relacionado para enfrentar o Grêmio.

Veja mais: Jogadores do Brasileirão já foram pegos pela covid-19. Veja lista

Na ausência de opções, Tiago Nunes pediu que o Corinthians solicitasse o retorno imediato de Gustavo Silva (Mosquito), que estava emprestado ao Paraná. O jogador, que cumpriria os requisitos pretendidos pelo treinador, já foi para o banco para o duelo no Rio Grande do Sul, no último sábado, mas não chegou a entrar em campo. Somente Léo Natel, que atenderia às características desejadas para a função, foi usado por menos de cinco minutos.

Com poucas chances de um reforço ser trazido neste momento, Tiago Nunes deve se manter nas tentativas de encontrar essa peça dentro do próprio elenco. Diante do Coritiba, na próxima quarta-feira, às 21h30, na Arena Corinthians, ele poderá ter que lançar a mão de uma delas, já que Mateus Vital é dúvida depois de ter sofrido um pisão no tornozelo contra o Grêmio.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Saiba os 7 motivos que podem levar Neymar a ser o melhor do mundo