Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

STJD suspende preparador de goleiras acusado pelo Santos de tentativa de manipulação de resultados

Fabrício de Paula foi suspenso por 180 dias em julgamento realizado nesta sexta-feira

Futebol|

Lance
Lance Lance

O STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) decidiu multar em R$ 20 mil e suspender por 180 dias o preparador de goleiras Fabricio de Paula, acusado pelo Santos de manipulação de resultado na partida entre Santos e Red Bull Bragantino, válida pelo Campeonato Brasileiro Feminino.

Outros envolvidos no caso, os ex-funcionários do Red Bull Bragantino Anastácio Rio e Laudice de Oliveira Ramos, conhecido como Alemanha, foram absolvidos em primeira instância. A decisão ainda cabe recurso ao Pleno.

Auditora relatora do processo, Flávia Zanini deu o seu voto e explicou os motivos. Ela foi acompanhada pela auditora Janine Couto.

- Fabrício, no meu entendimento, as mensagens não deixam claro que tentou manipular, mas não exime do aliciamento da atleta. Entendo na primeira denúncia do artigo 243 para desclassificar para o artigo 240 do CBJD por aliciar. O denunciado não trouxe provas de que poderia negociar em nome do clube. No segundo artigo 243 desclassifico para o artigo 243-A entendendo que ele atuou a fim de tentar modificar o resultado da partida. Devido o depoimento e a tudo que foi exposto, entendo que o denunciado Fabrício se enquadra nesses dois artigos. No artigo 240 aplico multa de R$ 20 mil e suspensão de 180 dias. No artigo 243-A aplico 10 mil e 12 partidas. Na terceira denúncia eu absolvo. Aplicando a forma do artigo 183 fica a pena menor absorvida pela maior e prevalece a pena de R$ 20 mil e 180 dias. Destaco a gravidade e a questão de todo o conteúdo probatório. Ao segundo e terceiro denunciado não vejo a participação deles. Absolvo ambos - explicou Zanini.

Publicidade

O inquérito foi conduzido pelo auditor Felipe Bevilacqua, integrante do Pleno do STJD, que ouviu as partes envolvidas e após analisar as demais provas juntadas no inquérito instaurado, concluiu-se pela tentativa de manipulação.

Entenda o caso

Publicidade

O presidente Andres Rueda, no dia 20 de junho, em coletiva de imprensa, informou que o preparador de goleiras das Sereias da Vila, Fabricio de Paula, foi demitido após tentar subornar uma jogadora do Red Bull Bragantino, em uma partida válida pelo Campeonato Brasileiro Feminino.

O mandatário santista não divulgou o nome do acusado e nem da atleta que recusou o suborno, mas explicou que o caso será investigado, o Boletim de Ocorrência foi feito com imagens, prints e outras provas envolvendo o caso. O jogo terminou empatado em 1 a 1.

Publicidade

- A gente teve um fato lamentável comprovadamente nesse fim de semana que talvez seja a cabeça de um iceberg do que está acontecendo no nosso futebol. Um funcionário do nosso clube, do futebol feminino, utilizando-se de um intermediário do Bragantino, tentou subornar uma jogadora do Bragantino para arranjar um resultado elástico já no primeiro tempo do jogo para efeito de apostas. A jogadora recusou a proposta, eles entraram em contato comigo, apresentaram provas materiais. Quando chegou ao nosso conhecimento, tomamos algumas medidas. Providencia que tivemos de imediato: demissão por justa causa por todos envolvidos - afirmou Rueda.

O Red Bull Bragantino encaminhou uma nota para imprensa logo após a denúncia do time santista confirmado o caso. O clube informou que a atleta subornada recusou a proposta. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) também se manifestou.

Publicidade

- O Red Bull Bragantino vem a público para, infelizmente, confirmar as alegações de assédio a uma das nossas jogadoras antes da partida contra o Santos, pelo Brasileirão Feminino - disse o time de Bragança.

- A CBF recebeu a denúncia nesta segunda-feira (20), e, como procedimento padrão em casos como este, encaminhará ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para a apuração completa dos fatos narrados - comenta a entendida máxima do futebol brasileiro.

Fabricio de Paula foi demitido após o Santos ter conhecimento da situação. Segundo informações divulgadas pelos clubes envolvidos, a atleta foi contatada, por meio de mensagens, com uma proposta de suborno para combinação de determinado resultado. O preparador, porém, se defende.

- O que houve é que, como é comum no meio do futebol, o sr. Fabricio foi ao hotel onde estava o Red Bull Bragantino para encontrar com um amigo que trabalhava naquela equipe. Nada incomum, afinal, para quem conhece os bastidores do futebol, é natural que membros de comissão-técnica rivais mantenham contato direto (como em qualquer outra profissão, ter amigos em empresas concorrentes) - disse a defesa de Fabrício.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.