"Sou o único que nunca teve chance", desabafa Jobson, do Santos

Contratado em abril, volante ainda não estreou no Peixe com o técnico Jorge Sampaoli. Enquanto a torcida mostra ansiedade para vê-lo atuar, argentino o escanteia

Lance

Lance

Lance

- Infelizmente desde que eu cheguei aqui não tive nenhuma chance como outros tiveram. Nenhuma oportunidade! Acho que sou o único jogador que foi contratado e que não teve oportunidade de mostrar o futebol - desabafou Jobson em entrevista exclusiva ao LANCE!.

Contratado em abril, o volante ainda não estreou pelo Santos. Em cinco meses o meia foi destaque em jogos-treinos e completou atividades nas categorias de base. Com o bom futebol nos trabalhos do CT Rei Pelé, instigou o torcedor a querer saber como ele atua para valer, mas isso ainda não aconteceu.

Dos 14 reforços desta temporada, apenas ele não entrou em campo. Em entrevistas coletivas, o técnico Jorge Sampaoli justificava sua ausência entre os titulares "por ter jogadores em alto nível e melhores que ele", porém, o torcedor não tolerou o discurso.

- Me colocaram pra jogar no Sub-23. Não é fácil. Eu me machuquei lá! E machuquei feio! Mas transformei aquela dor em força, em foco. Nunca reclamei de nada porque o meu amor pelo clube e pela torcida está em primeiro lugar. Nada vai me tirar do meu foco que é jogar pelo Santos.
Nunca reclamei e sempre mantenho conduta profissional - disse.

- Eu penso em primeiro lugar no clube, na instituição, na equipe e trabalho com profissionalismo. Dou o meu melhor pelo Santos sempre. Optei pelo Santos e faz seis meses que não entro em campo. Até tive oportunidades de sair para outros clubes mas nada vai mudar o meu foco que é jogar aqui - acrescentou.

TABELA
> Veja a classificação e simulador do Brasileirão clicando aqui

Sabendo da situação, a diretoria cobrou internamente o técnico Jorge Sampaoli da não utilização de Jobson e até de Cueva, afinal, o Peixe desembolsou dinheiro para investir nos jogadores. O camisa 20 tem contrato por cinco anos com o clube.

- Chegou há pouco tempo, de equipe do Campeonato Paulista e outros têm mais trabalho de jogo. É bom jogador, tem bom passe, mas para entender o jogo ainda custa. Chegou há pouco tempo. Entendimento tem a ver com o tempo - disse o técnico Jorge Sampaoli em 13 de junho.

Nas redes, alguns santistas o vê como injustiçado no elenco e muitos têm a curiosidade de vê-lo atuando, até por seu bom nível em jogos-treinos: um gol de pênalti contra o Grêmio Esportivo Osasco, um gol em jogo-treino contra o profissional do Santos e duas assistências quando atuou no elenco principal em atividade contra o sub-23.

E além da falta de oportunidade, Jobson não está nos planos do técnico Jorge Sampaoli, que insiste em liberá-lo para negociações. Na última sexta-feira o volante recusou a Chapecoense para buscar seu espaço no time. Cruzeiro e Grêmio também estiveram no radar, mas também foram negados pelo jogador.

- Há um mês atrás meu empresário me ligou e eu poderia ter saído para o Cruzeiro e depois surgiu o Grêmio. Na reunião com meu agente eu disse que só sairia do Santos se o clube e a torcida não me quisessem mais. Eu amo o Santos e fico arrepiado com a torcida. Sei lá, parece que eu já nasci com o DNA do clube. Não saio daqui por nada, só se o clube e a torcida não me quiserem mais. Mas primeiro tem que ser dado a mim a oportunidade de mostrar o meu futebol. Afinal de contas, eu fui contratado pra mostrar o meu futebol pelo clube - desabafou.

A espera da tão valiosa oportunidade, Jobson já se decidiu: não deixará o Santos com facilidade. Então basta o santista torcer para que Sampaoli mude de ideia.