Sem Holan, Santos diminui opções; Aprovado pela torcida, Ceni não é pauta

Diretoria santista sabe que ex-jogador do São Paulo negocia com Athletico-PR e prefere não atrapalhar. Lista teria nomes de um estrangeiro e um brasileiro

Lance

Lance

Lance

O Santos entra em seu quarto dia em busca de um novo técnico para a próxima temporada. No período, a diretoria do Peixe viu Ariel Holan fechar com a Universidad Católica-CHI e Becaccece se aproximar do Racing-ARG.

O LANCE! apurou que a prioridade é negociar com um nome estrangeiro e outro brasileiro que não foram revelados. Aprovado pela torcida por ter um estilo de jogo ofensivo e parecido com o do ex-técnico Sampaoli, Rogério Ceni ainda não foi pauta das reuniões do Comitê Gestor.

Um dos motivos é a negociação de Ceni com o Athletico-PR. As partes já conversaram e o Furacão tem um contraproposta. A diretoria santista prefere não atrapalhar e foca em outros nomes.

Assim como a torcida, a diretoria santista quer um técnico ofensivo, que tenha bom relacionamento com o elenco e experiência. Sampaoli, mesmo com os problemas que tinha com o presidente José Carlos Peres, conseguia blindar o grupo de jogadores. Prova disso é que o Alvinegro terminou a temporada na vice-liderança do Brasileiro e com a vaga garantida na Libertadores 2020.

Não é segredo que a contratação de um técnico é a principal prioridade do Santos. O novo comandante é aguardado já para discutir o planejamento e as carências do elenco. Mesmo assim, o Peixe tem atenção no mercado e já anunciou o atacante Raniel, ex-Cruzeiro e São Paulo.

Em 2020, o Santos terá quatro competições: Campeonato Paulista, Copa do Brasil, Libertadores e Campeonato Brasileiro. Voltar a levantar títulos também é outra exigência para a próxima temporada, visto que o Peixe 'passa em branco' há três temporadas.