São Paulo teve prejuízo de R$ 47 mil em clássico com portões fechados

Duelo com o Santos, no último sábado, foi fechado para torcedores devido à pandemia de coronavírus. Tricolor arcou com despesas da abertura do Morumbi sem venda de ingressos

Lance

Lance

Lance

As consequências do coronavírus no meio do futebol são conhecidas no mundo todo. Aqui no Brasil começamos a perceber recentemente e um dos fatores atingidos é o financeiro. No último sábado, o São Paulo recebeu o Santos para o clássico estadual em um Morumbi com portões fechados. Resultado: prejuízo de quase R$ 50 mil para os cofres são-paulinos.

Como ainda não havia a paralisação do Paulistão, foi recomendado que o duelo acontecesse sem torcedores, ou seja, sem venda de ingressos. Dessa forma, os custos da abertura do estádio não seriam absorvidos com o dinheiro da bilheteria e caíram na conta do clube como despesas. O valor exato do prejuízo foi de R$ 47.571,28, que englobou os seguintes itens:

Ambulância: R$ 3.380,00
Controle de Doping: R$ 5.761,00
Equipe de Apoio: R$ 8.368,00
Funcionários: R$ 21.299,78
Orientadores: R$ 1.222,50
Segurança Privada: R$ 5.040,00
​Sonorização: R$ 2.500,00

Além dessa renda líquida negativa no borderô publicado pela Federação Paulista de Futebol, o São Paulo deixou de receber o dinheiro que levantaria com a comercialização das entradas. Pouco antes da determinação para fechar os portões do Morumbi, o clube já havia vendido mais de 16 mil ingressos, que serão ressarcidos aos torcedores que fizeram a aquisição antecipada.

Tanto Paulistão quanto Libertadores, competições disputadas pelo Tricolor no momento, foram paralisadas a fim de evitar a propagação do coronavírus. Dessa forma, o clube também suspendeu as atividades do futebol profissional por tempo indeterminado. Durante esse período de interrupção, os jogadores receberão orientações da comissão técnica e do departamento médico.