Futebol São Paulo falha na hora de dar passo crucial para seu futuro no Brasileirão

São Paulo falha na hora de dar passo crucial para seu futuro no Brasileirão

Tricolor tem atuação ruim contra o Bahia, em Salvador, e desperdiça oportunidade de encostar no G8. Oscilação nos resultados e atuação pode estagnar a equipe na tabela

Lance
Lance

Lance

Lance

O São Paulo entrou em campo no último domingo, contra o Bahia, sabendo que bastaria uma vitória simples para levar o time ao nono lugar na tabela, a dois pontos do G8 do Brasileirão-2021. No entanto, o que se viu na Fonte Nova, pela 30ª rodada do campeonato, foi um time apático e com dificuldade para levar perigo ao adversário, uma oscilação que pode estagná-lo no campeonato.

Desde o início de agosto, quando bateu o Vasco, pela Copa do Brasil, e o Athletico-PR, pelo Brasileiro, o Tricolor não consegue estabelecer uma sequência de vitórias. Desde então, as possíveis séries de triunfos foram interrompidas por empates ou derrotas. Sendo assim, seria difícil imaginar que, contra o Bahia, fora de casa, e ligeiramente pressionado, o cenário mudaria.

E não mudou. Depois de vencer o Internacional, no Morumbi, e ver os resultados da rodada contribuindo para seus objetivos, o São Paulo tinha uma chance enorme de se consolidar nessa reta final da competição e partir para a briga por uma vaga na Libertadores. No entanto, havia o Bahia no meio do caminho e uma má atuação da equipe para acabar com os planos de Ceni.

Aliás, vale destacar que a oscilação não é culpa do atual treinador, já que com Crespo isso era bem comum também e foi o que trouxe o Tricolor a estar em uma posição tão longe do que seu potencial oferece. Até aqui, sob o comando do ídolo, são cinco jogos, duas vitórias, um empate e duas derrotas. São sete pontos conquistados em 15 possíveis, ou seja, menos da metade do total.

Mas além da oscilação técnica, tática e de resultado, a questão anímica deixou a desejar. Para um jogo decisivo como esse, que poderia alçar o clube para a primeira parte da tabela, próximo das vagas continentais, a postura do time deveria ter sido mais voltada para uma decisão. Enquanto o Bahia entrou brigando em todas as bolas, o São Paulo não conseguiu igualar a intensidade.

Isso acabou fazendo toda a diferença da metade do primeiro tempo em diante, quando os baianos "engoliram" os são-paulinos fisicamente. O gol passou a ser questão de tempo, pois o Tricolor paulista foi para o intervalo "no lucro", pois poderia ter tomado um ou dois gols já na etapa inicial. O momento de maior reação da equipe de Ceni foi nos minutos finais, com chutes de fora da área: um com Benítez, defendido por Danilo Fernandes, e um de Shaylon, para fora.

Com a derrota, o São Paulo vê a possibilidade de Libertadores mais distante de seus olhos, mas não como algo inalcançável. Uma oportunidade como essa, dificilmente irá acontecer daqui para frente, mas é preciso refletir sobre o que levou o time a não usar essa motivação em seu favor. Caso contrário, a persistência nessa oscilação irá estagnar o Tricolor na tabela do Brasileirão.

Últimas