Futebol Santos tem superávit no 1º semestre, mas Conselho Fiscal faz alerta

Santos tem superávit no 1º semestre, mas Conselho Fiscal faz alerta

Conselho sinaliza que houve aumento na folha salarial e que rendimento da equipe, que poderia gerar mais dinheiro se tivesse ido melhor nas competições, causa preocupação

Lance
Lance

Lance

Lance

O Conselho Deliberativo do Santos vai se reunir na próxima terça-feira (4) para, entre outras coisas, analisar o relatório do Conselho Fiscal do segundo trimestre de 2022. De acordo com o documento, obtido pelo DIÁRIO DO PEIXE, o clube teve um superávit de R$ 794,516 entre maio e junho. O valor é superior ao orçado, que era um déficit de R$ 14,7 milhões.

O Peixe teve uma receita de R$ 76.602.000,0 milhões no período, sendo R$ 4,2 milhões com bilheteria, R$ 13,6 milhões com patrocínios, R$ 27,3 milhões com direitos de transmissão, R$ 14,4 milhões com negociações de atletas, R$ 889 mil com licenciamento e marketing e R$ 4,5 milhões com o programa de sócios.

O Santos gastou R$ 24,5 milhões no segundo trimestre com salários de jogadores e direito de imagem. A folha salarial do clube, com encargos, chegou a R$ 8,5 milhões em abril. Em relação ao primeiro trimestre, houve um aumento de 12,31% na folha.

A conclusão do relatório afirma que é positivo o superávit de R$ 794,516, mas destaca os valores recebidos das negociações envolvendo Thiago Maia, Kaio Jorge e Lucas Peres. Além disso, uma observação referente ao aumento dos salários de 12,31% na folha.

"É repetitivo de nossa parte, sem um aumento significativo das receitas somada a venda de atletas por um ótimo valor, não conseguiríamos fechar nossas contas, com risco eminente de não cumprimos os acordos afirmados", disse o relatório.

"Nos causa preocupação quando colocamos na balança os resultados obtidos dentro de campo, com as sucessivas eliminações de campeonatos que remuneram muito a cada avanço de fase, ou seja, aumentamos nossas despesas e continuamos reduzindo nossas receitas em premiações", completa.

Últimas