Santos afirma desejo de manter jogadores e 'alfineta' Sampaoli

Clube alegou que ex-técnicos estão seduzindo jogadores a quebrar contratos com o Peixe. Treinado pelo argentino, Galo monitora Éverson e Sasha

Peixe mandou alfinetou ex-treinador do clube, que hoje está no Atlético-MG

Peixe mandou alfinetou ex-treinador do clube, que hoje está no Atlético-MG

Lance

Através das suas redes sociais, o Santos alegou que atletas do elenco estão sendo seduzidos por convite de ex-treinadores para quebrar judicialmente os seus contratos através da Justiça.

Recentemente, Éverson e Eduardo Sasha entraram com ações contra o Peixe pedindo a rescisão dos seus contratos ao alegar pendências financeiras. Ambos os processos ainda estão em juízo. Em comum, a dupla é alvo do Atlético-MG, clube treinado por Jorge Sampaoli, técnico do Santos em 2019, o que caracteriza certa indireta santista ao Galo, jogadores e técnico.

O goleiro foi contratado pelo Alvinegro Praiano na temporada passada a pedido de Sampaoli, que fez do atleta titular, desbancando Vanderlei, um dos ídolos santistas da geração atual. Já Sasha era preterido no início do trabalho do treinador, mas ganhou espaço ao longo do ano e tornou-se uma das principais peças do elenco, formando o trio “SMS”, ao lado de Soteldo e Marinho, no comando de ataque.

Situação financeira

Ao se tratar das finanças, o Santos vive um momento delicado. A maioria dos jogadores estão há cinco meses sem receber os seus direitos de imagem, além da redução dos salários durante a pandemia em 70%, sem o consentimento do elenco, o que dá margem jurídica para que outros atletas tomem o mesmo movimento de Éverson e Sasha.

Tanto que a nota publicada pela Comunicação do Peixe nas redes trata de desmentir o rumor de uma possibilidade de troca de jogadores com o Palmeiras, para atenuar a folha salarial.

Além disso, o Alvinegro Praiano está desde março impossibilitado de registrar novos jogadores, por conta de uma punição imposta pela Fifa, pelo não pagamento ao Hamburgo (ALE) na contratação do zagueiro Cléber Reis, atualmente emprestado a Ponte Preta, em 2017. Para que volte a ficar livre para contratar, o Santos terá que desembolsar 4,1 milhões de euros (R4 25,2 mi na cotação atual).