Safari na África e 'bronca' de Mourinho: Evandro, do Santos, revela histórias vividas na carreira

Ao LANCE!, camisa 25 do Peixe também relembrou da primeira vez em que viu a bola personalizada e escutou o hino da Champions League pelo Porto-POR

Lance

Lance

Lance

Atuar na Europa é o sonho de qualquer jogador brasileiro. Jogar nos estádios mais modernos do mundo e ganhar milhões de euros são alguns dos motivos principais. Antes de chegar ao Santos, o meia Evandro conquistou este feito, mas não foram só de boas histórias que o atleta viveu.

O camisa 25 do Peixe já teve que encarar um safari na África com o Hull City-ING e se acostumar com o idioma diferente da Sérvia, por exemplo. Por outro lado, pôde realizar o sonho de jogar a Champions League e trocar algumas palavras com o treinador José Mourinho, um dos mais vitoriosos das últimas duas décadas.

- Foi a primeira vez que eu fiz um safari. Foi especial. O nosso patrocinador do Hull City era de Nairóbi, no Quênia. Estávamos em período de férias, eu lembro que estávamos bravos, porque estávamos viajando nas férias para jogar. A experiência do safari foi legal, eu imaginava um pouco diferente. Passamos muitas horas dentro do carro e como é um espaço enorme é difícil você ver como no canal. La é editado. Foi bacana, mas foi cansativo. A gente roda muito e vê pouco animal - contou Evandro, com exclusividade ao LANCE!

No dia, em uma mata fechada, uma van da excursão atolou na lama. A tensão dominou os atletas, mas, no fim, tudo acabou em final feliz.

- Teve um momento que todas as caminhonetes param para o pessoal tomar água ou urinar. Ali não é lugar fechado, mas deixa muito tenso. Uma van da nossa frente também ficou atolada na lama. Para ajudar, os caras que dirigiam o nosso tinha de sair. Era tudo coberto com mato e a gente só olhando. Vira um nervosismo pode surgir um animal a qualquer hora - falou o jogador.

Levar um 'puxão de orelha' de Mourinho não é pra qualquer um. Evandro pode falar que já recebeu uma 'bronca' do Special One no intervalo da partida entre Porto e Chelsea.

- Estava pelo Porto e jogamos contra o Chelsea. Sou muito amigo do Varela, jogador português e ele conhece muito bem o Mourinho. A gente estava voltando pro segundo tempo e neste jogo estávamos no banco. Não lembro se ele me chamou pelo nome, mas ele falou comigo e com o Varela. Foi uma situação marcante, especial e eu achei muito legal. Ele reclamou porque havíamos jogados contra o Dynamo de Kiev dentro de casa, mas não ganhamos. Se ganhássemos, estaríamos classificados junto com o Chelsea. Ele falou: 'que besteira vocês fizeram lá, a gente poderia estar aqui só fazendo um jogo amigável'. Foi uma conversa rápida - disse.

TABELA
>Veja a classificação e o simulador do Brasileiro clicando aqui

Foi no Porto, inclusive, que Evandro jogou sua primeira edição de Champions League, torneio mais importante da Europa. Ver a bola personalizada e escutar o hino da competição fizeram com que o meia recordasse alguns momentos no Brasil.

Ele foi formado no Athletico-PR e contratado pelo Palmeiras carregando o apelido de 'Seleça' pelo destaque nas categorias de base do Brasil. No rival do Peixe, o camisa 25 não conseguiu repetir o bom futebol e foi ofuscado pela dupla Diego Souza e Cleiton Xavier.

O jogador também passou por Atlético-MG e Vitória, mas também não foi unanimidade. No Estoril-POR, em 2012, Evandro teve boas participações e chamou atenção do Porto dois anos depois.

- Foi no meu primeiro ano no Porto. Não entramos direto na fase de grupos, pegamos os playoffs contra o Lille-FRA. Tu me recordou e isto de fato aconteceu. Quando a gente começou a se preparar, a bola é diferente com aquelas estrelas. Aquilo foi marcante, é um desejo de tanto jogador e eu estava realizando aquele sonho - afirmou o camisa 25.

- Tem jogadores aqui que se destacam e são vendidos para grandes clubes da Europa. Comigo foi ao contrário, eu não tinha tanta sequência, não era titular com certa frequência e fui para um clube menor na Europa e lá eu tive que batalhar bastante. Todo o esforço que eu fiz de adaptação fora ajudou bastante para chegar neste patamar - completou.

Agora, o desafio de Evandro é utilizar sua experiência na Europa para criar histórias marcantes com a camisa do Santos. O camisa 25 tem contrato até 30 de junho de 2020.