Rotina muda, mas trabalho continua: o Fluminense sem bola rolando

Clube suspendeu todas as atividades em suas sedes e com isso, jogadores realizam trabalhos específicos em casa. Futebol se adapta a falta de treinos e foca em análises

Lance

Lance

Lance

O futebol parou por conta da pandemia do coronavírus. Com isso, o Fluminense suspendeu as atividades em todas as sedes. Portanto, Laranjeiras, Xerém e CT Carlos Castilho estão paralisados. A recomendação dos órgãos de saúde é de que todos fiquem em suas casas, medida que visa evitar a propagação do COVID-19.

Visando manter os atletas ativos, o clube formulou uma cartilha, com algumas instruções para serem seguidas durante o período de confinamento. Para manter o físico em dia, os jogadores receberam um material com séries diárias de exercícios que podem ser feitos em casa. O preparador físico Marcos Seixas disponibilizou os treinamentos e afirmou que vai estar disponível para qualquer tipo de dúvida.

- Em função desse problema, estamos encaminhando treinamentos para serem realizados em casa que visam uma manutenção da forma física e desportiva pra que não tenhamos déficit do condicionamento adquirido. Procuramos montar exercícios que podem ser feitos nessas condições. As dúvidas podem ser sanadas com facilidade através da tecnologia atual. É uma atitude muito importante, já que não temos ainda nenhuma previsão conclusiva de retorno.

Além das atividades físicas, os jogadores também receberam instruções sobre a alimentação, buscando manter uma dieta saudável e a imunidade, fator importante para evitar o coronavírus.

- Temos duas maiores preocupações nutricionais. Uma com os valores da composição corporal dos atletas e outra com bom funcionamento do sistema imunológico dos atletas. Então, nada melhor do que informar que tipos de alimentos são benéficos e quais não são. Além de tempo de intervalo entre refeições bom como fontes de vitaminas essenciais - explicou a nutricionista Renata Faro ao site oficial do clube.

DM EM CASA

Três jogadores do elenco tricolor encontram-se no departamento médico. Miguel e Gilberto se recuperam de lesões musculares, enquanto Frazan está em tratamento no joelho direito, que passou por uma cirurgia em fevereiro deste ano. Todos receberam equipamentos e estão se tratando em casa.

- Miguel, Gilberto e Frazan levaram para casa alguns equipamentos de drenagens e eletroestimulação, além de aparelhos para analgesia. Eles receberam orientações específicas para cada caso e podem entrar em contato em caso de dúvida. E nós vamos fazendo a ronda, pelo telefone, para acompanhar o andamento - revelou o fisioterapeuta Nilton Petroni.

TODO O CUIDADO É POUCO

A paralisação geral visa evitar o contágio do coronavírus. Portanto, além de seguir a cartilha, os jogadores terão que tomar cuidados com a higiene e evitar aglomerações.

- Explicamos os comportamentos básicos de se evitar a propagação de um vírus, além de reforçar a ideia de ficar em casa. As mesmas orientações de manter as mãos higienizadas, lavando com água e sabão ou utilizar álcool gel 70%; evitar aglomerações como festas, praias, reuniões, aeroportos, shoppings, supermercados, restaurantes e visitas a familiares. Só sair de casa se houver extrema necessidade; e evitar compartilhamento de objetos de uso pessoal. Caso algum atleta ou funcionário apresente sintomas como febre, tosse, dor de cabeça e falta de ar, esses deverão informar ao departamento médico do clube imediatamente - alertou o coordenador médico Douglas Santos.

FUTEBOL CONTINUA?

Apesar da bola não estar rolando, engana-se quem pensa que os membros da comissão técnica estão parados. A rotina mudou, já que não há atividades com o elenco. No entanto, as análises continuam. As conversas para tratar sobre os aspectos do time, como pontos a corrigir e melhorar, são feitas por telefones e videoconferências. Os adversários seguem sendo estudados pelo departamento de análise de desempenho, que também mantém o monitoramento e o mapeamento em possíveis contratações para o segundo semestre.