Futebol Rodrigo Caetano sinaliza permanência no Atlético-MG e esfria sonho do Corinthians

Rodrigo Caetano sinaliza permanência no Atlético-MG e esfria sonho do Corinthians

Profissional era prioridade do Timão para o comando do departamento de futebol

Lance

Diretor de futebol do Atlético-MG, Rodrigo Caetano deve permanecer no Galo, frustrando o sonho da nova diretoria do Corinthians, que tinha o profissional como prioridade para comandar o departamento de futebol.

➡️ Tudo sobre o Timão agora no WhatsApp. Siga o nosso novo canal Lance! Corinthians

Após algumas conversas entre Caetano e a equipe do presidente Augusto Melo, eleito no início de dezembro e que assumirá o Timão em janeiro, o dirigente sinalizou em Minas Gerais que pretende cumprir o seu contrato, que vai até 2026.

A tendência é que Rodrigo entre em contato com Melo nos próximos dias para comunicar a sua decisão. Enquanto isso, o estafe corintiano mantém o desejo de contar com o executivo no processo de reconstrução do elenco alvinegro.

Augusto, inclusive, ainda não tem um ‘plano B’ para o caso de recusa de Rodrigo Caetano.

Outro nome de agrado do presidente eleito do Corinthians é o de Thiago Scuro, que recentemente deixou o Red Bull Bragantino, onde exercia o cargo de CEO desde o início do projeto da empresa austríaca no Brasil, e foi contratado como dirigente do Monaco, da França. Internamente, a sensação é que Scuro dificilmente trocaria um projeto europeu para retornar ao Brasil menos de um ano após ir à Europa.

Enquanto não possui um profissional de mercado na diretoria, Melo tem contado bastante com Rubens Gomes, o Rubão, ex-vice-presidente corintiano, em 2007. Rubão deve ser o diretor de futebol corintiano, exercendo um cargo estatutário que aponta que somente um associado sem remuneração pode exercer. Rubens tem conversado com alguns clubes e empresários a fim de fazer algumas movimentações no mercado para composição do elenco do Timão em 2024.

Enquanto isso, Augusto Melo está em viagem na América do Sul também para tratar sobre contratações de jogadores. A Argentina foi a primeira parada, mas o presidente corintiano também deve passar por Paraguai e Uruguai.

Últimas