Renato fala pela primeira vez sobre nova função no Santos

Ídolo do Peixe falou sobre primeiras semanas como supervisor técnico de desenvolvimento: 'Função ligada à base, junto ao profissional'

'Jogando de terno', Renato se despediu do futebol no fim de 2018

'Jogando de terno', Renato se despediu do futebol no fim de 2018

Flavio Hopp

Amigo santista, sinta-se na sala de imprensa do CT Rei Pelé em dia de apresentação de reforço. Tudo bem que Renato já é da casa e está atuando como supervisor técnico de desenvolvimento do Santos há algumas semanas, mas em conversa exclusiva é uma espécie de apresentação oficial de Renatinho na nova função, já que é a primeira vez que o ídolo santista conversa com a imprensa desde que assumiu o cargo.

Renato pendurou as chuteiras no fim de 2018. A essa altura, ele já exercia a função de gerente de futebol santista, que acumulava em seus últimos meses como jogador. No entanto, no início de 2019, problemas pessoais o afastaram das atividades cotidianas do clube e Renato decidiu abrir mão da gerência. Meses depois, ele está de volta ao Peixe, agora como supervisor técnico de desenvolvimento, trabalhando, principalmente, na transição entre os atletas das categorias de base ao elenco profissional.

- Estou como supervisor técnico de desenvolvimento. Junto, mais integral, com o sub-23, mas integrando toda a cadeia da base. Tô nesse projeto junto com o Jorge Andrade, que é o nosso gerente da base, e o William Thomas, que é o nosso diretor do profissional. A minha função engloba todo o futebol do Santos, desde a base, feminino, até o profissional, só que eu faço mais essa integração da base em relação ao profissional - disse.

O início de trabalho do ex-atleta na supervisão foi discreta, mas já tem mostrado resultados. Mesmo sem apresentação oficial, alguns jogadores da base alvinegra já ganharam espaço no elenco profissional e contam com a experiência de Renatinho para dar os primeiros passos na carreira.

Veja mais: Flamengo no topo e Corinthians na lanterna: os times da Série A no ano

- Tem sido gratificante poder passar um pouco da minha experiência para eles (atletas). A gente sabe que é um trabalho contínuo junto ao profissional. É uma linha pequena que separa eles do profissional. Estamos auxiliando atletas como com o Renyer, que infelizmente teve uma lesão grave e ficará um tempo fora, Alex, Wagner, Ceará e Ivonei, que subiram – comentou.

Além da ‘troca de figurinhas’ com a comissão técnica do profissional, o eterno camisa oito também tem utilizado da sua experiência para aconselhar os garotos.

- O que sempre falo para eles é que o profissional precisou e eles indo, é pra agarrar a oportunidade. A gente sabe que o futebol gira rápido e num piscar de olhos você, que não estava nem jogando, é chamado ao profissional, joga, vai bem, fica, estoura… - afirmou.

Renatinho não é um Menino da Vila, mas é como se fosse. Revelado pelo Guarani, chegou ao Santos em 2000, aos 21 anos. Foram quatro anos em sua primeira passagem e cinco na segunda, quando retornou em 2014 para encerrar a carreira – o que aconteceu em 2018. No total, ele disputou 360 jogos com a camisa alvinegra e marcou 24 gols. Agora, a ideia é repetir o sucesso no campo ao dar o pontapé inicial na carreira de possíveis novos ídolos santistas.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

De “harém” à prisão no Paraguai: confira polêmicas de Ronaldinho