Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

'Quarteto mágico'? Saiba como deve ficar o ataque do São Paulo com Lucas Moura e James Rodríguez

Chegada de reforços renomados tem provocado expectativa no torcedor

Futebol|

Lance
Lance Lance

As chegadas de James Rodríguez e Lucas Moura ao São Paulo despertam uma grande expectativa na torcida tricolor pela forma como a equipe de Dorival Júnior pode jogar daqui em diante.

+ Renove o seu estoque de camisas do Tricolor com o cupom LANCEFUT 10% OFF

Além do desafio de reunir o máximo possível de talento sem prejudicar o funcionamento coletivo do time, o técnico precisa encaixar jogadores com características bem distintas sem que eles se prejudiquem. A seguir, apresentamos algumas opções de como o Tricolor pode jogar com as suas novas contratações.

+ Olho no Brasileirão! Assine o Prime Video e acompanhe todos os jogos do seu time do coração!

Publicidade

COMO JOGA O SÃO PAULO?

Indo além de conceitos táticos, sobre como o São Paulo se organiza no ataque e na defesa, ou o posicionamento dos jogadores, usaremos estatísticas para explicar quais as principais características do time de Dorival neste Brasileirão.

Publicidade

Dados da plataforma 'xValue Stats' apontam que o São Paulo é um dos times mais eficientes do Brasileirão em termos ofensivos. Além de ser uma das equipes que mais finaliza a gol, chama a atenção os números de acertos de passe e tabelas realizadas, que indicam um clube de muita mobilidade na busca pelo gol. Veja os números na tabela abaixo.

COMO JAMES RODRÍGUEZ E LUCAS JOGARAM EM SEUS ÚLTIMOS CLUBES?

Publicidade

Embora James Rodriguez tenha ficado conhecido pela sua atuação na Copa do Mundo de 2014, atuando como um 'camisa 10' na seleção colombiana e sendo o responsável por dar o 'último passe', o meia foi se adaptando ao longo da carreira para atuar em outras posições.

De acordo como o 'Sofascore', através do mapa de calor do colombiano, o reforço tricolor passou a atuar mais nas duas pontas, especialmente a direita, enquanto defendia Real Madrid, Bayern de Munique e Everton (veja abaixo o mapa de calor de James Rodriguez no Olympiacos, da Grécia).

Publicidade

Algo parecido aconteceu com Lucas, que deixou o Brasil como um ponta-direita de potencia, capaz de ir à linha de fundo e compor a linha de meio-campo no 4-4-2. No PSG (França) e no Tottenham (Inglaterra), Lucas passou a atuar não apenas pelos dois lados como também pelo centro, especialmente no início do trabalho de Antonio Conte pelo clube de Londres (o mapa de calor de Lucas em sua última temporada completa pelo Tottenham também pode ser conferido abaixo).

COMO OS REFORÇOS PODEM SE ENCAIXAR NO TIME?

O São Paulo tem atuado a partir de um 4-4-2 em linhas, com Rodrigo Nestor pela ponta/meia esquerda e Wellington Rato atuando como ponta-direita, enquanto Luciano se movimenta entre o ataque e a função de 'camisa 10'. Essas peculiaridades, como o pé invertido de Rato (canhoto que joga pelo lado direito) e a movimentação de Luciano, para realizar paredes e toques curtos, são características táticas que justificam as estatísticas citadas anteriormente.

Além destes movimentos, o fato de o São Paulo atuar com uma dupla de ataque também merece atenção na organização do 'novo' time: Calleri e Luciano foram responsáveis por mais de 40% dos gols do São Paulo no Brasileirão, o que dificulta que essa parceria seja desfeita. Assim, é improvável que James seja utilizado como um meia 'clássico', centralizado, posição que, em tese, não existe no time do São Paulo hoje.

A alternativa que menos interfere no jogo coletivo já estabelecido por Dorival seria com James no lugar de Nestor, na ponta-esquerda. Nessa opção, o time seguiria com um meio-campista pelo corredor e Lucas voltaria às origens ao ocupar a ponta-direita, formando assim um 'quarteto mágico' com Lucas, James Rodríguez, Luciano e Calleri.

Além disso, este desenho permitiria que James circulasse com mais liberdade pelo centro do campo e liberasse o lado esquerdo para as ultrapassagens de Caio Paulista, através de tabelas - outra característica do jogo tricolor comprovada pelas estatísticas - deixando o time ainda mais ofensivo e dando maior protagonista ao lateral-esquerdo, destaque recente do time.

Especulações são mais do que válidas, mas a decisão é de Dorival Júnior. Resta ao torcedor aguardar que os reforços fiquem à disposição para ver como será o encaixe dos novos jogadores do São Paulo.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.