Presidente da Fifa, Infantino, não garante realização da Eurocopa 2020

Italiano não descarta possibilidade de adiamento do torneio devido ao problema de coronavírus, mas pede tranquilidade e diz que avaliará situação

Infantino diz que não há motivos para pânico

Infantino diz que não há motivos para pânico

Lance

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, esteve presente no Congresso da Uefa para anunciar novidades para os próximos anos e também tratar sobre a evolução do coronavírus no continente. Junto de Aleksander Ceferin, presidente da entidade europeia, e outros líderes, o italiano não garantiu a realização do torneio aos microfones da "Sky Sports".

Leia mais: Fifa anuncia revisão da regra do impedimento no futebol

- Não podemos descartar nada, mas não podemos entrar em pânico. Pessoalmente, não estou preocupado, mas devemos avaliar seriamente a situação, embora esperamos não avançar em direção a uma suspensão de eventos em escala global.

Greg Clarke, vice-presidente da Fifa e presidente da Associação de Jogadores, espera que a Inglaterra mantenha os compromissos já marcados.



- Esperamos jogar contra a Dinamarca e Itália (esta seria no dia 27 de março). Continuamos de acordo com o que planejamos, mas, em caso de mudanças, estaremos prontos para nos adaptar. As coisas mudam muito rapidamente e é difícil ter uma ideia do que vai acontecer de agora para daqui a um mês.

Os jogos qualificatórios para as vagas finais da Eurocopa 2020 começam no dia 26 de março e o torneio terá início no dia 12 de junho até 12 de julho. A expectativa é de que a transmissão diminua e as competições de futebol possam ocorrer normalmente e sem prejuízos esportivos ou a segurança e saúde dos torcedores.

Atletas tentam derrotar o preconceito no futebol