Futebol Presidente da Fifa apoia discussão sobre redução de teto salarial

Presidente da Fifa apoia discussão sobre redução de teto salarial

Gianni Infantino revelou ser "a favor de regulações financeiras mais claras e rígidas"

Lance
Lance

Lance

Lance

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, revelou ser a favor de impor um teto salarial devido à crise causada pela pandemia do coronavírus. Em vídeo publicado pela entidade, o suíço revelou que essa ideia se encaixa em uma série de "propostas interessantes".

- De tetos salariais a limites de taxas de transferência, ou outros mecanismos de taxação, à possível obrigação a entidades administrativas, organizadores de competições e clubes de construir reservas ou contribuir a fundos de reservas que possam ser usados em momentos de necessidade como agora - disse, em comunicado por vídeo.

- Eu pessoalmente advogo a favor de regulações financeiras mais claras e rígidas, impondo princípios de total transparência e boa administração, e não restringi-los apenas ao sistema de transferências, mas estendê-los a todo o ecossistema do futebol - acrescentou.

Aleksander Ceferin, correspondente na Uefa, defende a ideia desde 2017 e a retomou durante a pandemia. Ele citou a possibilidade de uma "taxa de luxo", uma espécie de punição financeira aos clubes que excedessem o limite de teto salarial imposto.

Nesta semana, a Fifa pediu “bom senso” às entidades diante as manifestações de jogadores da Bundesliga em apoio a George Floyd, homem negro morto por um policial branco nos EUA.

Últimas