Futebol Por pendências, clube japonês levará rescisão com Jô para a Fifa

Por pendências, clube japonês levará rescisão com Jô para a Fifa

Nagoya Grampus publicou comunicado neste domingo confirmando o desligamento do jogador brasileiro, que já assinou contrato com o Corinthians

Lance
Lance

Lance

Lance

Neste domingo, em seu site oficial, o Nagoya Grampus-JAP comunicou a rescisão de contrato com Jô, que já foi anunciado como jogador do Corinthians na última quarta-feira. O clube japonês, no entanto, promete levar o caso para a Câmara de Resolução de Disputas, da Fifa, entidade máxima do futebol.

Na breve nota publicada, o Nagoya diz que o desligamento do jogador se deu por "razões justificáveis", porém não deu maiores detalhes sobre o assunto: "O Nagoya Grampus comunica que o contrato com Jô foi cancelado por motivos justificáveis. No momento, estamos confiando esse assunto à Câmara de Resolução de Disputas da Fifa."

Jô tinha contrato com o Nagoya até dezembro deste ano, mas não se apresentava ao clube desde o final da última temporada. O centroavante teve um problema no joelho no início de 2020 e não participou da preparação do time em janeiro. Por conta da pandemia de coronavírus, os japoneses só fizeram dois jogos desde então. O atacante corintiano já havia perdido espaço no elenco, não fazia parte dos planos do treinador e desejava sair.

Segundo apuração, Jô ainda tinha alguns acertos financeiros a fazer com o Nagoya, valores que ele interpreta como serem de seu direito. O clube japonês, porém, não deu maiores justificativas para a rescisão de contrato, tampouco dos motivos que levam o caso para o conhecimento da Fifa.

Vale destacar que a disputa, nesta situação, é entre o Nagoya e Jô, e não envolve o Corinthians, que já integrou o jogador aos treinamentos à distância do elenco e o submeterá aos exames de covid-19 no início desta semana, uma vez que seus companheiros passaram pelos testes na última quinta-feira e do grupo atual o camisa 77 é o único que ainda não realizou a testagem.

Reforço de R$ 311 mi do Chelsea não gosta de 'estádios barulhentos'

Últimas