Nazário diz que foco de Autuori tem sido criar mentalidade vencedora

Meia revelou que primeiros dias de trabalho com o novo treinador foram voltados para fortalecer o psicológico do elenco para enfrentar o Náutico, pela Copa do Brasil

Lance

Lance

Lance

O Botafogo vai encarar o Náutico pela segunda fase da Copa do Brasil com uma mentalidade diferente. Em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira, no Nilton Santos, o meia Bruno Nazário revelou que o foco das primeiras atividades comandadas pelo novo treinador Paulo Autuori tem sido trabalhar a cabeça do grupo e gerar confiança para a partida da próxima quarta-feira, às 21h30, no Estádios dos Aflitos, em Recife. Apenas a vitória interessa ao Glorioso, no jogo único. Em caso de empate, a vaga será decidida nos pênaltis.

– O Autuori fez história aqui. É um treinador inteligente. Ele tem trabalhado mais a nossa cabeça, para jogarmos sem medo e fazermos um bom jogo. Foram poucos dias de trabalho. Ele nos passou informações táticas de como segurar a equipe do Náutico, acertou alguns posicionamentos. É uma grande equipe que vive boa fase. Vamos encarar essa partida com muita seriedade e inteligência. A gente tem que jogar sem pressão. Cada jogo é uma final para a gente. Tenho certeza que vamos sair classificados– afirmou Nazário.

Um dos treze reforços do clube para 2020, Nazário disputou a temporada de 2019 pelo Athletico-PR, foi campeão da Copa do Brasil, mas sofreu com lesões. O jogador de 25 anos festejou a rápida adaptação ao Alvinegro e acredita que a experiência da campanha vencedora com o Furacão pode ser utilizada a seu favor.

–Me adaptei rápido ao Botafogo. O grupo me acolheu bem. Cheguei aqui jogando pela direita, depois lateral. Se me colocarem no gol, estou pronto para ajudar. Cada um tem que ajudar de uma maneira. Estou feliz aqui. O Autuori pede para eu me movimentar mais, buscar mais o jogo, fazer algumas diagonais. Ano passado fui campeão e passa um filme na minha cabeça. Agora quero pensar positivo e fazer uma grande campanha pelo Botafogo também.

Honda e Yaya Touré

Revelado pelo Figueirense , Bruno Nazário viveu experiências internacionais na Alemanha e na Polônia. Compartilhar o vestiário com atletas de diferentes nacionalidades não é novidade, mas ele classificou como positiva a experiência de ter um astro internacional do esporte como Keisuke Honda no elenco.

- Eu joguei lá fora, a cultura é diferente. O Honda é muito inteligente, mas é complicado falar com ele. Ele tenta se comunicar em inglês, mas é complicado. Ele está se esforçando, a gente vai ensinando. É muito legal, uma experiência muito boa. Honda e Cortez são dois jogadores de muita qualidade. Mas cabe ao treinador decidir quem vai jogar.

Nazário também comentou como a possível chegada do marfinense Yaya Touré tem sido tratada pelo grupo. A movimentação dos torcedores nas redes sociais fez o clube abrir negociações para tentar a contratação de mais um jogador conhecido mundialmente.

- A gente só vê pela internet, mas espero que seja verdade, vai nos ajudar muito. Tomara que dê certo, é um ótimo jogador e vai nos fortalecer – finalizou.