Futebol Mulher que acusa CR7 de estupro pensou em suicídio, diz advogado

Mulher que acusa CR7 de estupro pensou em suicídio, diz advogado

Em coletiva, o representante de Kathryn Mayorga afirma que ela sofreu de depressão e não descartou tirar a própria vida; craque nega o ocorrido

Lance
Kathryn Mayorga, suposta vítima de CR7, teria cogitado suicídio

Kathryn Mayorga, suposta vítima de CR7, teria cogitado suicídio

Reprodução/Lance

Em uma entrevista coletiva, o advogado de Kathryn Mayorga, mulher que acusa o português Cristiano Ronaldo de estupro, revelou que o ocorrido fez com que a moça pensasse em suicídio. Além disso, afirmou que ela também sofreu para manter relações com pessoas e empregos.

Veja também: CR7 nega acusação de estupro: 'Nada pesa em minha consciência'

Após a agressão sexual, ela sofreu de depressão, pensamentos intrusivos, considerou o suicídio, abusou do álcool, teve dificuldades para manter relações pessoais e um emprego - disse.

O ocorrido teria acontecido em 2009, em Las Vegas. Cristiano Ronaldo teria oferecido 375 mil dólares (R$ 1,5 milhões) para comprar o silêncio da mulher. Os advogados entraram com um pedido para invalidar o acordo, com a alegação de que CR7 se aproveitou das fraquezas de Mayorga para que o termo fosse assinado. O craque se manifestou nas redes sociais.

- Nego terminantemente as acusações de que sou alvo. Considero a violação um crime abjeto, contrário a tudo aquilo que sou e em que acredito. Não vou alimentar o espetáculo midiático montado por quem se quer promover à minha custa - afirmou CR7.

Últimas