Motivos de Xavi não ter se tornado técnico do Barcelona são revelados

Catalão exigiu controle máximo da área esportiva, ter Puyol por perto e começar em julho. Diretoria contratou Setién por querer técnico já em janeiro

Catalão fez exigências que não agradaram a diretoria, como controle máximo da área esportiva e ter Puyol por perto. Diretoria contratou Setién por querer técnico em janeiro

Xavi só assumiria o Barcelona em junho e clube precisava em janeiro

Xavi só assumiria o Barcelona em junho e clube precisava em janeiro

Lance

Foram revelados os pedidos de Xavi para ser treinador do Barcelona quando dirigentes foram a Doha conversar com o atual técnico do Al Sadd para levá-lo a Catalunha. Na última quinta-feira, o programa “El Larguero” da rádio “Cadena SER”, informou que o ídolo só aceitaria a função em junho, no começo da temporada, se tivesse o máximo controle da área esportiva e se pudesse contar com Carles Puyol ao lado.

O ex-meio de campo não queria assumir o cargo no meio da temporada após a demissão de Ernesto Valverde. Tal imposição foi logo descartada pelo clube blaugrana, pois o Barça não queria contratar em janeiro um técnico que ficaria condicionado a um cargo por seis meses a espera de Xavi para acertar com a equipe.

Leia também: Bayer Leverkusen derrota o Porto pela segunda fase da Liga Europa

O segundo ponto é que o treinador queria controle máximo da área esportiva. O antigo camisa 6 não queria se ver condicionado nem pela área econômica, nem pelo secretariado técnico ou pela diretiva, para assinar com um jogador que julgasse necessário. Além disso, queria ter mãos livres para poder despedir quem achasse que não se encaixava em seu projeto de time.

Veja mais: Sterling não nega ida para o Real Madrid: 'Estou aberto a desafios'

Por último, o espanhol gostaria de ter Carles Puyol por perto. A função do lendário capitão do Barcelona seria estar perto dos escritórios e do vestiário, o que poderia condicionar a permanência de Eric Abidal na sua função no clube catalão, pois a função seria a mesma. Dessa forma, não acatando os pedidos de Xavi, o Barcelona optou por Quique Setién, com um contrato firmado até 2022.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook. 

Racismo no futebol: goleiro vascaíno e jogador de Mali não estão sozinhos