Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Mistão do São Paulo cumpre missão, amarra Fortaleza e garante o empate sem gols pelo Brasileirão em jogo de 2 expulsões

Dorival poupou jogadores pensando no clássico com o Corinthians. Mas ganhou um ponto em jogo no Castelão

Futebol|Do R7

Diante da maratona de viagens que irá enfrentar nos próximos dias e com um clássico contra o Corinthians pela frente, Dorival Júnior escolheu mandar a campo contra o Fortaleza um time misto no São Paulo. Ante um adversário poderoso, a aposta era em um empate. E, travando o jogo da forma como deu, o Tricolor paulista atingiu o seu objetivo, saiu do Castelão com um empate em 0 a 0 no duelo válido pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro, na noite desta quinta-feira (11).

Foi o segundo empate em cinco jogos do Tricolor na principal competição nacional. Resultado que mantém a incrível invencibilidade ostentada pelo Dorival neste retorno ao clube do Morumbi, seis partidas.

Não é que o São Paulo tenha adotado uma postura defensiva. Longe disso. Em um ótimo duelo tático de Dorival com Juan Vojvoda, as equipes foram se alternando, na forma de jogar em campo e nas boas chances de gols criadas.

O cenário se definiu mesmo no decorrer do segundo tempo. Primeiro Brítez foi expulso pelo segundo amarelo quando o Leão da Pici parecia melhor em campo. Com a vantagem numérica em campo, o Tricolor paulista criou chances, mas recebeu uma ducha de água fria: Nestor também acabou indo para o chuveiro mais cedo nas mesmas circunstâncias. Aí não teve jeito, melhor fechar a casinha e garantir o ponto ganho fora de casa.

Publicidade

O São Paulo chega assim aos sete pontos e cai para a sétima colocação do Brasileirão. O Fortaleza, com oito, vem logo à frente, em sexto.

PROMESSA DE JOGO MOVIMENTADO…

Publicidade

O jogo começou com tudo no Castelão. Em um 4-3-3 ofensivo, com as linhas altas, o São Paulo surpreendeu o Fortaleza nos minutos iniciais, dominou a posse de bola e criou boas chances de ataque.

A melhor delas foi aos 3', quando Marcos Paulo recuperou uma bola na entrada da área (marcação de saída de jogo), passou pela marcação e arriscou com perigo.

Publicidade

RESPOSTAS DOS MANDANTES

A alegria são-paulina, contudo, durou pouco. Na jogada seguinte, ainda em contra-ataque, Yago Pikachu acelerou sem marcação prlo meio e arriscou o chute de esquerda da entrada da área, mas a bola saiu pelo lado direito.

Nesse momento, o Fortaleza meio que percebeu as intensões de Dorival Júnior. Vojvoda então trancou as opções de ataque pelos lados e abriu seus dois meias para reforçar a abertura que os alas visitantes deixavam.

Aos 9', o encaixe foi perfeito. Pikachu, sempre ele, recebeu desta vez pela direita e cruzou na medida para Guilherme, que desviou de cabeça e carimbou o travessão de Rafael.

ALEGRIA DUROU POUCO

A intensidade inicial aos poucos foi sendo substituída pela maior cautela dos dois treinadores, poucos dispostos a oferecerem espaços em suas defesas para que o adversário os aproveitasse.

Dorival, pelo lado paulista, recuou Alisson para a função de segundo volante, deixou Nestor mais livre na armação e jogou Marcos Paulo na ponta-esquerda. Vojvoda, pelos cearenses, recuou seu volante para fechar uma linha de cinco na zaga e encaixou um 5-3-2-1.

Pouco adiantou. O tempo foi passando, a criatividade foi rareando e aos poucos jogadas 'mais firmes' das defesas apareceram. Foi assim aos 20', quando Romero errou uma inversão e a bola sobrou para Calleri na entrada da área em boas condições, mas Brítez derrubou o argentino.

O lance exemplifica a dificuldade dos dois lados em quebrar linhas, buscar o passe decisivo para superar as defesas, muito bem postadas de ambos os lados, igualmente preparadas para a aposta nas velocidades que nomes como Rato e Pikachu poderiam conceder. Mesmo assim ainda teve tempo para o segundo quase abrir o placar para os mandantes aos 49', quando arrancou em velocidade, invadiu a área e finalizou com perigo para fora.

+ Confira os jogos e classificação resultados da Brasileirão-23 na tabela do LANCE!

É TUDO OU NADA

O segundo tempo começou de maneira inversa. Foi o Fortaleza quem veio a campo com uma formatação diferente, conseguindo espaços na defesa paulista. Aos 1', Pikachu cobrou falta no segundo pau, Romero desviou de cabeça e Caio Alexandre finalizou, obrigando a defesa a desviar. Na cobrança do escanteio, Brítez conseguiu vencer a disputa aérea e quase encontrou Romero livre, sem marcação, que ainda conseguiu o desvio para fora após se esticar.

O Fortaleza parecia ter encontrado o seu rumo. E mesmo com alguma dificuldade posterior de chegar ao ataque, continuou criando boas chances. Como aos 16', quando Calebe, que entrara pouco antes , recebeu na intermediária, arriscou e exigiu boa aparição de Rafael.

AZEDOU…

A coisa parecia que ia para o Tricolor de Aço. São Paulo nas cordas, como se diz, satisfeito com o empate sem gols e pouco se lançando à frente. Mas um golpe de mestre jogou tudo fora. Aos 17', Brítez fez falta boba em Calleri no meio-campo e acabou expulso.

Era o ímpeto que os paulistas queriam. Aos 21', Luciano, outro que entrara no segundo tempo, aproveitou sobra de bola da defesa mandante e arriscou ótima finalização, exigindo boa defesa do goleiro. Três minutos depois, foi Nestor quer arriscou o arremate e viu a bola passar perto do gol.

AZEDOU (2)…

Vamos repetir as palavras. A coisa parecia que ia para o Tricolor do Morumbi. Fortaleza nas cordas, como se diz, com o sistema ofensiva sacrificado para recomposição da zaga. Mas… Aos 25', Nestor acabou compensando a expulsão anterior após e recebeu o segundo amarelo após falta.

Com igualdade de jogadores em campo de novo, o jogo seguiu sua tendência: um São Paulo satisfeito com o empate, fechado e com pouca inspiração ofensiva ante um Fortaleza que até criou bastante, mas a qualidade necessária para alcançar as redes. Com direito a emoção de todos os jeitos. Gabriel Neves salvou finalização de Thiago Galhardo aos 38'. Pikachu chutou com perigo para fora no minuto seguinte. E pouco depois, aos 44', Rafael defendeu o que parecia um gol contra certo de Diego Costa. Os visitantes saíram no lucro com o empate.

PRÓXIMOS JOGOS

Na próxima rodada do Brasileirão, o São Paulo terá nada mais mais nada menos que o clássico contra o Corinthians, em Itaquera, às 16h (de Brasília) de domingo (14). No mesmo dia e horário, o Fortaleza faz mais um 'clássico tricolor', diante do Grêmio, em Porto Alegre (RS).

FICHA TÉCNICA

FORTALEZA 0 X 0 SÃO PAULO

CAMPEONATO BRASILEIRO - QUINTA RODADA

Data e hora: 11/5/2023 (quinta-feira), 20 horas (de Brasília)

Local: Castelão, em Fortaleza (CE)

Árbitro: Paulo Cesar Zanovelli da Silva (Fifa-MG)

Assistentes: Luanderson Lima dos Santos (Fifa-BA) e Celso Luiz da Silva (MG)

VAR: Rodrigo Nunes de Sa (Fifa-RJ)

Cartão amarelo: Brítez e Yago Pikachu (Fortaleza); Raí Ramos, Gabriel Neves, Alisson e Nestor (São Paulo)

Cartão vermelho: Brítez, aos 17min do 2ºT (Fortaleza) e Nestor aos 25min do 2ºT (São Paulo)

FORTALEZA

Maurício Kozlinski; Tinga, Brítez, Titi e Lucas Crispim (Bruno Pacheco, 31/2). Zé Welison (Zanocelo, 31/2), Caio Alexandre, Pochettino (Thiago Galhardo, 11/2) e Yago Pikachu; Sílvio Romero (Ceballos, 19/2) e Guilerme (Calebe, 11/2)

Técnico: Juan Vojvoda

SÃO PAULO

Rafael; Raí Ramos (Rafinha, 37/2), Alan Franco, Diego Costa e Patryck (Caio, 32/2); Pablo Maia, Nestor e Marcos Paulo (Luciano, 18/2); Alisson, Calleri (Juan, 32/2) e Wellington Rato (Gabriel Neves, 18/2)

Técnico: Dorival Júnior

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.