Futebol Ministério Público investiga suspeita de irregularidade em patrocínio do HCI ao Fluminense

Ministério Público investiga suspeita de irregularidade em patrocínio do HCI ao Fluminense

Vínculo do Hospital de Clínicas de Itajubá com o Tricolor das Laranjeiras entra em pauta em processo sobre irregularidade em unidade...

Lance
Lance

Lance

Lance

O acordo de patrocínio do Hospital de Clínicas de Itajubá ao Fluminense faz parte de uma investigação judicial em Minas Gerais. O Ministério Público apresentou à Justiça uma ação civil pública para que o HCI contrate novos médicos no setor de pediatria da unidade em até 24 horas. O acordo do hospital com o Tricolor das Laranjeiras está em pauta. A informação foi divulgada pelo "GE" e confirmada pelo LANCE!.

Somados o primeiro contrato e a renovação, os valores do patrocínio ao Fluminense chegam a cerca de R$ 1,4 milhão. O vínculo entre Fluminense e HCI foi oficializado em setembro de 2022. No mês passado, houve a prorrogação contratual até o fim de 2023.

O L! confirmou a informação do Ministério Público de que o inquérito foi instaurado no final do mês de janeiro. Até o momento, foram solicitados documentos do contrato do Fluminense com a HCI. As irregularidades serão apuradas

O valor do patrocínio não foi divulgado pelo HCI nem pelo clube tanto na assinatura do primeiro contrato quanto na renovação do acordo. No entanto, conforme a ação civil do MP, o valor pago pelo Hospital das Clínicas de Itajubá ao Tricolor das Laranjeiras é de mais de R$ 1,4 milhão, sendo R$ 400 mil no contrato inicial e R$ 1.052.631,60 na renovação.

O patrocínio do HCI aparece na parte frontal do calção de jogo do time profissional masculino de futebol. O hospital também investe na equipe do vôlei, com vínculo até abril, quando termina a Superliga feminina da modalidade.


O "GE" entrou em contato com o Hospital de Clínicas de Itajubá para um posicionamento a respeito da investigação sobre o patrocínio. A instituição, por meio da assessoria de imprensa, afirmou que não irá se “posicionar sobre um assunto de primeira instância que foi citado indevidamente pela autoridade”. Procurada, a assessoria jurídica do Fluminense até o momento não se manifestou.

Últimas