Futebol Mesmo cauteloso, Corinthians acena interesse por ‘terceiro melhor executivo de futebol do Brasil’

Mesmo cauteloso, Corinthians acena interesse por ‘terceiro melhor executivo de futebol do Brasil’

Timão deseja contratar profissional do mesmo nível de Alexandre Mattos e Rodrigo Caetano

Lance
Lance

Lance

Lance

O Corinthians não tem pressa para acertar a contratação de um executivo de futebol, mas segue trabalhando nos bastidores para ter o seu profissional de mercado dentro do patamar esperado, quando procurou Rodrigo Caetano, que optou por não abrir negociações com o Timão e permanecer no Atlético-MG. O nome do novo alvo é guardado a sete chaves no Parque São Jorge, mas internamente é falado que seria o ‘terceiro melhor executivo de futebol do Brasil’.

➡️ Tudo sobre o Timão agora no WhatsApp. Siga o nosso novo canal Lance! Corinthians

A interpretação das pessoas que cercam o presidente Augusto Melo é que Caetano seria a melhor opção. Em segundo, viria Alexandre Mattos, que recentemente fechou com o Vasco, mas nunca esteve nos planos corintianos. A ideia é que o profissional contratado esteja no mesmo patamar da dupla.

Mesmo ainda sem um executivo de futebol, o Corinthians está ativo no mercado. Na posse, realizada nesta terça-feira (2), Melo anunciou as contratações do lateral equatoriano Diego Palácios, do volante Raniele e do meia argentino Rodrigo Garro. A equipe alvinegra também está em estágio final para acertar a aquisição do zagueiro Félix Torres e do lateral-esquerdo Hugo – este negociado pela diretoria antiga, liderada por Duílio Monteiro Alves, que deixou o clube no último dia 31 de dezembro, mas que precisou passar pelo aval da direção atual durante o período de transição.

Essas negociações têm sido conduzidas pelo próprio Augusto Melo e também por Rubens Gomes, que ocupará a função de diretor de futebol, cargo previsto no estatuto social para ser ocupado por sócios que não terão remuneração por isso.

Todas essas movimentações também estão passando pela avaliação do Centro de Inteligência do Futebol (Cifut) do Corinthians, que agora é coordenado por Thiago Gasparini. Nenhuma contratação avança se não passar pelo crivo do departamento. E até mesmo se um executivo de futebol for contratado, ele precisará trabalhar diretamente com o setor, que na última semana, por exemplo, vetou a compra da Adriano Martins, do Novorizontino, que está praticamente fechada.

Além dos três reforços anunciados e dos dois encaminhados, restando apenas o anúncio, o Timão deseja a contratação de, pelo menos, mais quatro reforços: um zagueiro, um volante, um meia ou ponta que atue pelos lados do campo e um atacante. Neste ‘pacote’, existe o grande interesse em ter uma contratação badalada. A grande prioridade seria Gabigol, do Flamengo. Ainda que seja o grande sonho corintiano, a negociação é vista como muito difícil, pois o clube carioca faz jogo duro para facilitar as tratativas para liberar o atleta que tem contrato até o fim do ano, proposta de renovação entregue e multa rescisória de R$ 700 milhões para o mercado brasileiro.

Últimas